Assembleia da CBTM aprova questões do Estatuto e sobre a participação da comunidade - EsporteNaRede

Últimas

quinta-feira, 30 de abril de 2020

Assembleia da CBTM aprova questões do Estatuto e sobre a participação da comunidade

Participação igualitária das mulheres, representatividade dos paralímpicos e discussão sobre o calendário nortearam a reunião virtual.

CBTM realizou a Assembleia Geral Ordinária Virtual.
Fonte e foto: Assessoria de Imprensa/CBTM

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM) realizou, na manhã desta quinta-feira (30), a reunião da Assembleia Geral Ordinária. Pela primeira vez, a discussão aconteceu de forma virtual, com todos os participantes conectados em suas cidades, por conta da pandemia do novo coronavírus.

Por sinal, esta foi uma questão bastante discutida, já que é praticamente um consenso de que não se deve pensar na realização de competições neste momento, principalmente em ambiente fechado, como o caso de ginásios. A CBTM trabalha alguns cenários para as suas competições, sendo o mais otimista voltando a realizar torneios apenas em agosto. Questões como a separação das mesas e a realização de torneios em período de tempo mais espaçado e com menor número de pessoas nos locais começam a ser analisadas e serão discutidas periodicamente nos próximos meses.

A reunião virtual teve a presença de 20 das 22 federações, representantes da Comissão de Atletas e representantes dos técnicos. A participação igualitária entre mulheres e homens entre os atletas e a presença de pelo menos um terço de paralímpicos na Comissão foi proposta pela CBTM e aprovada por unanimidade. Por sinal, atualmente, a Comissão de Atletas é presidida por uma mulher: Lígia Silva.

Para a eleição da nova diretoria, no final do ano, ficou definido que, além das Federações Estaduais, 37 clubes participarão do pleito: todos os participantes do último Absoluto A e B e os clubes paralímpicos no Campeonato Brasileiro de 2019. Serão 32 atletas votantes (um representante por estado e os dez eleitos na Comissão de Atletas), além de um representante dos árbitros e um dos técnicos. De acordo com a legislação em vigor, os clubes não podem ter representatividade menor do que um terço do peso destinado às federações (terão 15,9%), bem como os atletas não podem representar menos de um terço do total de votos (com a alteração, representam 34,5%).

Na reunião, também foram aprovadas as contas e os relatórios de atividades apresentados pela diretoria da CBTM, bem como foi aprovada a nova redação do Código de Conduta Ética, disponível no site oficial da entidade. “Foi uma reunião extremamente produtiva, onde todos entenderam bem a necessidade de participação dos diversos setores. Pudemos apresentar grandes conquistas, como o lançamos do programa de fidelidade, um sonho antigo nosso, e tivemos discussões positivas sobre a atual situação do esporte. Esse contato permanecerá cada vez mais frequente, em razão do momento em que o país vive. Vamos analisar o cenário semanalmente e tomar as decisões de forma conjunta”, explica o presidente da CBTM, Alaor Azevedo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad