» » Reis e Gasparin vencem 33º Bahia Juniors Cup

Pernambucano salvou match-point contra 'suíço baiano' e paranaense salvou 7 set-points diante de peruana. Brasil amplia sequência de títulos em Salvador para cinco anos.

A paranaense Nathália Gasparin salvou 7 set-points diante de peruana.
Colaboração de texto: Fabrizio Gallas/GallasPress
Colaboração de foto: Juarez Matias/GallasPress

E o Brasil fez a festa conquistando os dois principais títulos na 33ª edição do Bahia Juniors Cup, terceira mais valiosa competição do país que contou com 220 atletas de nove países e pontuação Grau 3 para o ranking mundial júnior. O pernambucano João Lucas Reis e a paranaense Nathália Gasparin confirmaram o favoritismo e levaram o troféu em uma manhã e tarde de batalhas na quadra principal do centenário Clube Bahiano de Tênis.

O tenista do Recife, João Lucas Reis, levantou seu primeiro caneco.
Depois de quatro anos disputando o torneio, o tenista do Recife (PE), João Lucas Reis, levantou seu primeiro caneco ao derrotar o suíço natural de Lausanne, mas de mãe baiana, Aaron Schmid, cabeça de chave 2, por 2 sets a 1 com parciais de 6/2 5/7 7/6 (7/4) após quase três horas debaixo do sol forte de Salvador (BA). O brasileiro número 106 do mundo salvou um match-point, esteve abaixo em 4 a 2 no tie-break decisivo, mas marcou cinco pontos consecutivos para sair com a vitória.

"Estou muito feliz depois de quatro anos poder levantar o troféu aqui, meus pais vieram ver, foi outra coisa muito legal. Final muito dura, salvei um match-point no 4/5, busquei o resultado no tie-break bem duro, ele estava bem agressivo. Meu pensamento estava só no ponto a ponto e fico muito feliz em ter conseguido esse título"

Com a conquista, João dará um salto no ranking se aproximando dos 70 melhores do mundo (melhor desempenho é o 71º) e marca o foco de entrar na chave principal dos Grand Slams para 2018. Ele passou o quali em Wimbledon, maior evento do mundo, e disputou a fase qualificatória no US Open e Roland Garros nesta temporada: "Agora meu ranking vai dar uma subida, volto pra São Paulo onde treino uma semana para jogar quatro eventos na América do Sul Grau 2, depois México no fim de ano e começo 2018 disputando o Australian Open (primeiro Major)".

O suíço, mas de mãe baiana, Aaron Schmid e João Lucas Reis.
O brasileiro explicou o motivo pelo qual esteve presente por quatro anos no Bahia Juniors Cup: "É muito legal, organização muito boa, Mauro Conduro, Gian Biglia, Duda Catharino e todos, hotel muito bom, me sinto muito bem jogando aqui, perto da minha casa, me sinto em casa", apontou o tenista.

O Brasil não perde o troféu na capital baiana no masculino desde 2011 quando o colombiano Daniel Ceron levou o caneco. Em 2012 o troféu ficou com o paranaense Marcelo Tebet, em 2013 com o baiano Silas Cerqueira, em 2014 com o paulista Igor Marcondes batendo o baiano Leonardo Menezes, em 2015 com o paulista Gabriel Decamps e ano passado com o paranaense Thiago Wild.

Nathália Gasparin salva 7 set-points, vence batalha contra peruana e fatura seu 1º título - A paranaense Nathália Gasparin, 165ª do mundo, que completa 18 anos no próximo mês, manteve a série de títulos do Brasil na categoria principal feminina ao derrotar a peruana segunda favorita Romina Ccuno por 2 sets a 0 com parciais de 7/5 7/6 (9/7) após duas horas e meia de duração.

A brasileira saiu atrás com 0/3, depois 1/4, mas foi buscar a virada no primeiro set. Viu a adversária ter sete set-points para levar ao terceiro set, mas foi buscar a vitória para levantar o caneco, seu primeiro na carreira mundial no juvenil nesta que é sua terceira participação no Bahia Juniors Cup: "Estou muito feliz com essa minha conquisita, minha primeira, fortes emoções hoje. Ela começou super bem matando os pontos e eu correndo de um lado para o outro, mudei um pouco minha estratégia, ela saiu na frente no segundo set, mas lutei ponto a ponto para conseguir virar o jogo, salvei sete set-ponts, teve um desses que salvei umas seis bolas complicadíssimas. Estou muito feliz", celebrou a tenista que agora focará sua carreira no profissional: "Foi uma ótima conquista que me dará muita experiência para os eventos profissionais".

A tenista que na sexta levou o troféu de duplas ao lado da portuguesa Rebeca Silva elogiou o evento: "Todos os três anos que vim pra cá foi muito bem organizado, o hotel muito bom, as quadras, é o único do juvenil com quadra rápida, isso é muito bom, os árbitros, tem boleiro, Gatorade à vontade, essas coisas para nós são muito boas".

A paranaense Nathália Gasparin e a peruana Romina Ccuno.
A última vez que o Brasil não se sagrou campeão no feminino em Salvador foi em 2012 com conquista da portuguesa Ivone Álvaro. Em 2013, 2015 e 2016 deu a paulista Thaísa Pedretti e em 2014 a carioca Maria Silva.

Baiana leva o troféu nos 12 anos - A baiana Luana Silva levantou o troféu para o estado na categoria 12 anos no feminino ao derrotar a catarinense Alegra Hudson por 6/2 6/1. Na categoria os pontos valem pelo ranking da Confederação Brasileira de Tênis. Nos 14 anos masculino o troféu ficou com o carioca Guilherme Matta e o vice com o paranaense Murilo Burckhardt e nos 16 masculino o troféu ficou com Bryan Aguiar vencendo André Souza na final. Nos 14 e 16 os pontos valem pelo ranking da Confederação Sul-Americana, o Cosat.

Tradição de revelar grandes talentos. Gustavo Kuerten já disputou torneio e fez final contra baiano - O Bahia Juniors Cup tem tradição de revelar grandes talentos do esporte do país. Pelo evento, que acontece desde 1985, já passaram nomes como Gustavo Kuerten, campeão na categoria 16 anos derrotando no terceiro set o baiano Duda Catharino Gordilho, Fernando Meligeni, Teliana Pereira, o atual número 1 do mundo e campeão de Wimbledon, Marcelo Melo Jaime Oncins, Flavio Saretta, André Sá, entre outros.

Ano passado os dois campeões foram brasileiros, Thiago Wild e Thaísa Pedretti, e fizeram bons papeis nos Grand Slams em 2017. Wild fez quartas em Roland Garros, ganhou importante torneio na Itália, em Santa Croce, e fez semi de duplas do US Open se consolidando entre os 20 melhores juniores do planeta e Pedretti passou rodada em Wimbledon entrando no top 50 da categoria. Participante em 2015, Felipe Meligeni foi campeão de duplas do US Open ano passado e campeão Sul-Americano na Argentina, e hoje já soma seus primeiros pontos no profissional assim como Wild e Pedretti.

Resultados deste Sábado (30/09):
Finais - 18 anos
(1) João Lucas Reis (BRA) 2x1 (2) Aaron Schmid (SUI) 6/2 5/7 7/6 (7/4)
(1) Nathália Gasparin (BRA) 2x0 (2) Romina Ccuno (PER) 7/5 7/6 (7/4)
Final 14 anos Masculino
Guilherme Matta (BRA) 2x1 Murilo Burckhardt (BRA) 1/6 6/ 6/1
Final 16 anos Masculino
Bryan Aguiar (BRA) 2x0 André Souza (BRA) 6/3 6/3
Finais 12 anos
Luana Silva (BA) 2x0 6/2 6/1
Kauã Santos (SP) 2x0 Otávio Santos (SP) 6/4 7/5
Hall dos Campeões em 2017:
ITF 18 anos
Simples: João Lucas Reis (BRA) e Nathália Gasparin (BRA) / Duplas: Diego Padilha/Mateo Reyes (BRA) e Nathália Gasparin/Rebeca Silva (BRA/POR)
16 anos Cosat
Bryan Aguiar (BRA) e Isabela Mercante (BRA) / Joaquim de Almeida/João Duleba (BRA) e Giovanna Jallas/Isabela Mercante (BRA)
14 anos Cosat
Guilherme Matta (BRA) e Carolina Xavier (BRA) / Valentina de Almeida/Carolina Xavier (BRA) e Gabriel Barbosa/Aécio Fonte (BRA)
12 anos CBT
Luana Silva (BA) e Kauã Santos (SP) / Isabella Castro/Allegra Hudson e Otávio Santos/Kauã Santos

A 33ª edição do Bahia Juniors Cup Bahia Juniors Cup contou com os patrocínios do Governo do estado da Bahia pela Sudesb e da Construtora Moura Dubeux e apoio da Gatorade, Cassi Turismo e Águas Meleva. O evento é chancelado pela Federação Bahiana de Tênis, Confederação Brasileira de Tênis, Federação Internacional de Tênis e Confederação Sul-Americana de Tênis, o Cosat.


Sobre os autores:

Gabriella Simões fez Fotografia Digital no Sesc e é associada a Arfoc/Brasil através da Arfoc/BA. Miguel Brusell é formado em Comunicação Social na UFBA, tem pós em Gestão de Informações para Multimeios na FTC e bloga desde 2003.
«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Comentar