» » Bahia perde Aureliano Gomes, o Lelo Bala

Familiares, amigos, fãs e colegas realizam missa de sétimo dia nesta Terça (27), às 19 horas, na Igreja de Nossa Senhora do Imbuí, no Bairro do Imbuí.

A Bahia perde Lelo Bala.
Por: Miguel Brusell
Foto: Gabriela Simões

A Bahia, o esporte e o Automobilismo perderam, no dia 20 de dezembro, o ex-piloto, presidente do Clube de Automobilismo da Bahia (CAB) e comissário técnico da Federação de Automobilismo da Bahia (FAB), Aureliano Campos Gomes, o Lelo Bala. O ex-piloto foi vítima de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) seguido de uma parada cardíaca momentos antes da largada da última etapa do Campeonato Baiano de Velocidade na Terra, no dia 11.

Lelo Bala. Foto: Bob Monteiro/FAB
Após o infarto, Lelo Bala ainda lutou, bravamente, por nove dias no Centro de Terapia Intensiva do Hospital de Camaçari, onde veio a falecer. A notícia, poucos dias antes do Natal, deixou triste amantes do esporte e do automobilismo baiano. Antes de ser dirigente esportivo, Lelo Bala foi piloto de Velocidade na Terra, sendo campeão Baiano na categoria Ligth e bicampeão na Speed, totalizando três títulos estaduais.

Como presidente, Lelo Bala reorganizou CAB, levando a Velocidade na Terra para cidades como Capim Grosso, Castro Alves e São Francisco do Conde onde a Prefeitura doou um terreno de quase um milhão de hectares para a construção do sonhado autódromo do automobilismo baiano que, também, era um dos objetivos na vida do dirigente esportivo.

Pilotos e dirigentes esportivos lamentaram a morte do amigo. "Ele fez a Velocidade na Terra crescer na Bahia, através de seu conhecimento técnico. Dirigia o clube, organizava e homologava regulamentos, fiscalizava e homologava pistas, preparava comissários e bandeirinhas para as corridas no barro, kart, rallyes e arrancadas", revela o amigo e piloto David Escrotinho.

Para o ex-piloto e adversário na pista, mas amigo fora dela, Humberto Cajaíba, Lelo Bala era um superador de adversidades. "Para ele não tinha adversidade intransponível. Todos os obstáculos que a vida colocava no seu caminho, de forma muita determinada e pulsante, ele conseguiu transpor. O Automobilismo baiano, como um todo, perde uma grande referência", acredita o ex-piloto e diretor financeiro da FAB.



Sobre os autores:

Gabriella Simões fez Fotografia Digital no Sesc e é associada a Arfoc/Brasil através da Arfoc/BA. Miguel Brusell é formado em Comunicação Social na UFBA, tem pós em Gestão de Informações para Multimeios na FTC e bloga desde 2003.
«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Comentar