» » Esporte gratuito em dez clubes de Salvador

Crianças e adolescentes, em situação de vulnerabilidade social, podem fazer esporte gratuitamente.

Fonte: Doris Pinheiro
Fotos: Gabriela Simões

Crianças e adolescentes, entre 7 e 17 anos, em situação de vulnerabilidade social e econômica poderão fazer atividades esportivas em dez clubes sociais de Salvador. As inscrições já podem ser feitas a partir desta segunda (3), gratuitamente, em qualquer Centro de Referência de Assistência Social (Cras).

As aulas começam na segunda. A iniciativa faz parte de um decreto da prefeitura, publicado em abril deste ano, que reduz em até 70% o valor do IPTU para clubes sociais, culturais e de regatas que incentivem a prática esportiva. As atividades deverão somar 400 horas por ano.

Serão disponibilizadas 573 vagas nos seguintes clubes: Associação Atlética da Bahia, Associação Cultural e Esportiva Braskem, Centro Espanhol, Clube Bahiano de Tênis, Clube dos Empregados da Petrobras, Clube Recreativo Campomar, Costa Verde Tênis Clube, Esporte Clube Vitória, Esporte Clube Ypiranga e Yacht Clube da Bahia. As modalidades oferecidas serão basquete, boxe, capoeira, futebol, futsal, handebol, judô, karatê, natação, tênis, tênis de mesa, vôlei, entre outras.

A preferência é para crianças e adolescentes já referenciados pelo Cras, que os encaminhará para os clubes próximos às suas casas. Para se inscrever, é necessário apresentar RG, atestado médico, comprovante de residência e de escolaridade. De acordo com o gerente-geral de esportes e lazer do Yacht Clube da Bahia, Luís Eduardo Pato, há um ano a associação cedeu uma área em comodato para a Vila Brandão, onde foram construídos uma quadra, um parque infantil e um flutuador.

É nessa área que serão desenvolvidos os esportes. Serão 70 vagas para futebol, vôlei e capoeira. Já no Clube Bahiano de Tênis serão 41 vagas. “O esporte ajuda na formação do caráter do jovem”, disse Ricardo Leal, coordenador administrativo da associação. O projeto será acompanhado pela Secretaria Municipal de Promoção Social, Esporte e Combate à Pobreza (Semps), que verificará as condições das instalações e equipamentos, carga horária e formação técnica dos educadores.


Sobre os autores:

Gabriella Simões fez Fotografia Digital no Sesc e é associada a Arfoc/Brasil através da Arfoc/BA. Miguel Brusell é formado em Comunicação Social na UFBA, tem pós em Gestão de Informações para Multimeios na FTC e bloga desde 2003.
«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Comentar