» »Unlabelled » Owen Wright vence o Fiji Pro com duas notas 10 na final

A vitória com a segunda bateria perfeita de 20 pontos do australiano nos tubos de Cloudbreak valeu a terceira posição no ranking da World Surf League que continua com Adriano de Souza e Filipe Toledo na frente do Jeep Leaderboard.

Owen Wright vence Julian Wilson com duas notas 10.
Colaboração de texto: João Carvalho/ASP South America
Colaboração de foto: Steve Robertson/Kirstin Scholtz/ASP

Uma final australiana fechou o Fiji Pro com uma performance histórica de Owen Wright, 25 anos, vencendo Julian Wilson, 26, com duas notas 10 nos tubos de 3 metros de altura em Cloudbreak na terça-feira. Ele já havia feito uma "bateria perfeita" de 20 pontos na segunda-feira e o título em Fiji valia a terceira posição de Mick Fanning, 34 anos, no ranking para os dois finalistas. Os brasileiros Adriano de Souza, 28, e Filipe Toledo, 20, continuam na frente do Jeep Leaderboard, mas os australianos se aproximaram para brigar pela ponta do ranking na próxima etapa do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour nas direitas de Jeffreys Bay, de 08 a 19 de julho na África do Sul.


Os vencedores Owen Wright e Julian Wilson.
"Eu nem consigo acreditar em tudo isso que aconteceu. Ganhar o campeonato aqui em Fiji com duas notas 10 é um sonho tornado realidade", disse Owen Wright, que entrou na corrida pelo título mundial da temporada. "Eu tenho treinado e trabalhado bastante, acompanhando de perto o que os caras tops do circuito estão fazendo e valeu a pena. O Gabriel Medina tem sido uma grande inspiração para mim, especialmente pelo que ele fez aqui neste evento no ano passado, e os outros brasileiros também".

Medina ficou na terceira fase do Fiji Pro esse ano, assim como os líderes do ranking. Adriano continuou em primeiro com 28.000 pontos e Filipinho tem 27.450, agora seguido de perto por Owen Wright com 26.150 e Mick Fanning com 24.950. Mais dois australianos também passam a ter chances matemáticas de brigar pela "lycra amarela" do brasileiro Adriano de Souza no J-Bay Open, o vice-campeão Julian Wilson que subiu para o quinto lugar no ranking com 23.450 pontos e Taj Burrow com 21.700. Os dois tiraram o Brasil do Fiji Pro nos primeiros confrontos das quartas de final que abriram a terça-feira decisiva na ilha de Tavarua.

Julian Wilson surfou a maior.
O potiguar Italo Ferreira, 21 anos, pegou ótimos tubos de frontside nas esquerdas de Cloudbreak para ganhar duas notas na casa dos 8 pontos, mas Julian Wilson surfou o maior, passando por dentro das sessões que quebravam a sua frente para receber 9,43. Esta nota acabou decidindo a pequena vantagem no placar de 17,36 a 17,00 pontos. O paulista Wiggolly Dantas, 25 anos, entrou na segunda do dia com Taj Burrow, 37, mas faltou tubo para os dois competidores, com poucas ondas boas entrando na bateria. O australiano começou bem com nota 8,77 e o ubatubense não conseguiu reagir na difícil condição do mar, sendo derrotado por 13,37 a 7,40 pontos.

Mesmo assim, o quinto lugar nas quartas de final do Fiji Pro foi mais um grande resultado para os dois estreantes da "seleção brasileira" no grupo dos top-34 da World Surf League esse ano. Italo Ferreira subiu da 11ª para a oitava colocação no ranking e Wiggolly Dantas ganhou cinco posições, saindo da rabeira na lista dos 22 que são mantidos na elite para o 17º lugar, ultrapassando o campeão mundial Gabriel Medina que caiu para vigésimo e Miguel Pupo, empatado em 21º com o australiano Adam Melling.

Taj Burrow.
Baterias notas 10 - Se Gabriel Medina fez a festa no ano passado com a vitória inédita do Brasil nas Ilhas Fiji, desta vez os australianos comandaram o espetáculo nos tubos de Cloudbreak nestes dois últimos dias de ondas de mais de 3 metros de altura. O campeão Owen Wright estava abençoado e surfou os tubos mais espetaculares com uma apresentação histórica. Ele foi o único a vencer duas baterias com pontuação máxima numa mesma etapa. Kelly Slater e Joel Parkinson também já fizeram duas "baterias perfeitas", mas em anos e lugares diferentes. Slater em 2005 nos tubos de Teahupoo no Taiti e em Fiji em 2013. E o australiano em 2008 em Banzai Pipeline no Havaí e também em 2013 em Bali na Indonésia.

Parkinson foi a primeira vítima do campeão na terça-feira. Owen venceu o seu primeiro desafio por 16,60 a 12,84 pontos, com nota 8,93 na sua melhor onda. Na semifinal com Jeremy Flores, já começou a bateria com um tubaço incrível que valeu nota 9,43 e depois tirou um 7,50 para garantir sua vitória mais apertada do último dia. O francês só conseguiu surfar duas ondas, mas foi bem na escolha e quase consegue a segunda vaga para a final com as notas 8,00 e 8,57 que recebeu. Os 16,57 pontos de Jeremy ficaram perto dos 16,93 do australiano.

Italo Ferreira.
Decisão do título - Depois de um intervalo foi iniciada a grande final do Fiji Pro 2015, mas sem muitas ondas boas de novo e longas calmarias. Depois de surfar grandes tubos nas vitórias sobre Italo Ferreira e Taj Burrow, Julian Wilson não pegou nada justamente na bateria decisiva. Já Owen Wright achou tubos espetaculares, sempre estava no lugar certo e o primeiro canudo valeu 9,60. Depois ele saiu de um mais espetacular que arrancou o primeiro 10 da final. E ainda veio em outra bomba, completando o tubo para fechar a sua segunda bateria perfeita de 20 pontos nas esquerdas de Cloudbreak.

Owen Wright.
"Eu fiz duas viagens ao Taiti esse ano e acho que é de onde vieram os tubos que entraram para mim na final", brincou Owen Wright. "Ontem (segunda-feira) já tinha sido um sonho se tornado realidade e hoje foi ainda melhor. Vencer com duas notas 10 é realmente especial. Eu estava vendo o mar antes da bateria e eu sabia que iam entrar alguns tubos grandes. Eu só precisava estar no lugar certo na hora certa e estou muito feliz por estar de volta ao pódio".

O Fiji Pro foi transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e também pela Fox Sports para a Austrália, pela MCS Extreme para a França, EDGE Sports para a China, Coréia do Sul, Malásia e outros territórios e no Brasil terá cobertura especial da TV Globo e dos canais ESPN. Na próxima etapa na África do Sul, os canais para assistir os melhores surfistas do mundo nas melhores ondas do mundo serão os mesmos.


RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO FIJI PRO:
Campeão: Owen Wright (AUS) por 20,00 pontos (10,00+10,00) - US$ 100.000 e 10.000 pontos
Vice-campeão: Julian Wilson (AUS) com 7,84 (notas 4,67+3,17) - US$ 40.000 e 8.000 pontos

SEMIFINAIS - 3º lugar com 6.500 pontos e US$ 20.000 de prêmio:
1ª) Julian Wilson (AUS) 11.50 x 8.66 Taj Burrow (AUS)
2ª) Owen Wright (AUS) 16.93 x 16.57 Jeremy Flores (FRA)

QUARTAS DE FINAL - 5º lugar com 5.200 pontos e US$ 15.000:
1ª) Julian Wilson (AUS) 17.36 x 17.00 Italo Ferreira (BRA)
2ª) Taj Burrow (AUS) 13.37 x 7.40 Wiggolly Dantas (BRA)
3ª) Owen Wright (AUS) 16.60 x 12.84 Joel Parkinson (AUS)
4ª) Jeremy Flores (FRA) 16.83 x 12.90 Kai Otton (AUS)

TOP-22 NO JEEP LEADERBOARD DA WORLD SURF LEAGUE - após a 5ª etapa em Fiji:
1º) Adriano de Souza (BRA) - 28.000 pontos
2º) Filipe Toledo (BRA) - 27.450
3º) Owen Wright (AUS) - 26.150
4º) Mick Fanning (AUS) - 24.950
5º) Julian Wilson (AUS) - 23.450
6º) Taj Burrow (AUS) - 21.700
7º) Nat Young (EUA) - 18.250
8º) Josh Kerr (AUS) - 17.950
8º) Italo Ferreira (BRA) - 17.950
10) Jeremy Flores (FRA) - 16.750
11) Kelly Slater (EUA) - 16.700
12) John John Florence (HAV) - 16.000
13) Bede Durbidge (AUS) - 15.950
14) Matt Wilkinson (AUS) - 13.250
15) Joel Parkinson (AUS) - 13.200
15) Jadson André (BRA) - 13.200
17) Wiggolly Dantas (BRA) - 13.150
18) Jordy Smith (AFR) - 11.950
19) Sebastian Zietz (HAV) - 11.000
20) Gabriel Medina (BRA) - 10.950
21) Miguel Pupo (BRA) - 9.750
21) Adam Melling (AUS) - 9.750

PRÓXIMAS ETAPAS DO SAMSUNG GALAXY WORLD SURF LEAGUE CHAMPIONSHIP TOUR 2015:
6ª) Jul 08-19: J-Bay Open em Supertubes, Jeffreys Bay - África do Sul
7ª) Ago 14-25: Billabong Pro Teahupoo em Teahupoo, Taiarapu Ouest - Taiti
8ª) Set 09-20: Hurley Pro at Trestles em Lower Trestles, San Clemente, Califórnia - Estados Unidos
9ª) Out 06-17: Quiksilver Pro France em Hossegor, Landes - França
10) Out 20-31: Moche Rip Curl Pro Portugal em Supertubos, Peniche, Cascais - Portugal
11) Dez 08-20: Billabong Pipe Masters em Banzai Pipeline, Oahu - Havaí


Sobre os autores:

Gabriella Simões fez Fotografia Digital no Sesc e é associada a Arfoc/Brasil através da Arfoc/BA. Miguel Brusell é formado em Comunicação Social na UFBA, tem pós em Gestão de Informações para Multimeios na FTC e bloga desde 2003.
«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Comentar