» » Medina brilha nas cinco vitórias brasileiras no Fiji Pro

Campeão mundial começa a defender o título em Fiji com os recordes da sexta-feira iniciada com Alejo batendo Kelly Slater e Italo, Jadson e Wiggolly, também vencendo suas primeiras baterias em Cloudbreak.

Medina defende título em Fiji.
Colaboração de texto: João Carvalho/ASP South America
Colaboração de foto: Steve Robertson/Kirstin Scholtz/ASP

O campeão mundial Gabriel Medina começou a defender o título do Fiji Pro com os recordes da rodada de apresentação dos melhores surfistas do mundo nas esquerdas de Cloudbreak, na ilha de Tavarua. Com nota 9,23 e 17,13 pontos nas duas computadas, Medina conquistou a terceira das cinco vitórias brasileiras na sexta-feira de ondas de 4-6 pés, que foi iniciada com Alejo Muniz batendo Kelly Slater na primeira bateria e Italo Ferreira derrotando Joel Parkinson na última do dia. Jadson André e Wiggolly Dantas também passaram direto para a terceira fase, mas os líderes do ranking, Adriano de Souza e Filipe Toledo, bem como Miguel Pupo, perderam suas baterias e terão que disputar a segunda fase que vai abrir o sábado, com a primeira chamada do dia as 7h30 em Fiji, 16h30 da sexta-feira pelo fuso horário de Brasília.


"As ondas não estavam tão boas como esperávamos, não tinham tubos, mas foi divertido e deu para mostrar um bom surfe", disse Gabriel Medina, que busca sair de uma incômoda 19ª colocação no ranking das quatro primeiras etapas da temporada que defende o título mundial. "Eu amo Fiji, adoro surfar essas esquerdas perfeitas aqui de Cloudbreak e Restaurants, estou muito feliz por estar aqui novamente e só quero surfar o meu melhor para ir passando as baterias".

Italo Ferreira derrotando Joel Parkinson.
A vitória de Medina aconteceu logo após os tropeços de Adriano de Souza e Filipe Toledo para os australianos Kai Otton e Adrian Buchan, respectivamente, que surfaram as melhores ondas que entraram nas baterias. O campeão mundial falhou nas três primeiras tentativas, mas na quarta atacou a onda com uma série de três manobras explosivas para arrancar a maior nota do dia. Quando o francês Jeremy Flores esboçou uma reação numa boa onda nota 7,43, Medina respondeu com 7,90 para sacramentar a vitória em sua primeira defesa do título do Fiji Pro, conquistado na final contra o norte-americano Nat Young no ano passado. Em último ficou C. J. Hobgood, que ainda não venceu nenhuma bateria nesta temporada.

Até Gabriel Medina estrear com 17,13 pontos de 20 possíveis, os recordistas do dia eram os australianos que derrotaram os brasileiros que encabeçam o Jeep Leaderboard da corrida do título mundial da World Surf League. Adrian Buchan derrotou Filipe Toledo e o norte-americano Dane Reynolds por 15,16 pontos e Kai Otton totalizou 15,60 contra o líder Adriano de Souza e o local de Fiji, Inia Nakalevu, que vão se enfrentar no primeiro duelo eliminatório do Fiji Pro no sábado. O confronto se repete na bateria seguinte, entre Filipe Toledo e Aca Ravulo. Já Miguel Pupo está na décima para tentar aproveitar a segunda chance de classificação para a terceira fase contra o havaiano Fredrick Patacchia.

Alejo Muniz surpreendeu.
Vitória sobre Slater - Apesar das inesperadas derrotas de Adriano de Souza e Filipe Toledo, os brasileiros começaram bem no quinto desafio do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour, que vinha sendo adiado desde domingo. Logo no primeiro confronto da sexta-feira, Alejo Muniz surpreendeu ao vencer o onze vezes campeão mundial Kelly Slater e o também norte-americano Kolohe Andino. O catarinense perdeu sua vaga na elite dos top-34 no ano passado, mas vem substituindo o contundido Michel Bourez (TAH) e mostrou a força do seu backside nas esquerdas de Cloudbreak para superar o maior ídolo do esporte.

"Nós ficamos esperando disputar esta bateria por tantos dias e é uma sensação incrível conseguir a vitória contra um cara como o Kelly Slater", disse Alejo Muniz. "Eu sei que é apenas o primeiro rounde, mas foi realmente uma grande vitória para mim, porque eu estou aqui como convidado e não sei quando poderei competir contra os melhores surfistas do mundo novamente, então quero aproveitar ao máximo cada oportunidade e estou muito feliz por começar o campeonato com vitória".

Wiggolly Dantas estreou com vitória.
Na terceira bateria do dia, o paulista Wiggolly Dantas também estreou com vitória na segunda participação do Brasil no Fiji Pro. O ubatubense é um dos estreantes da temporada e liderou a bateria desde a primeira onda que surfou alongando as manobras para tirar nota 7,17. O número 4 do ranking, Josh Kerr, era um dos adversários, mas foi o outro australiano, Jay Davies, que ameaçou ao completar um dos poucos tubos que rolaram em Cloudbreak na sexta-feira e foi o melhor do dia, valendo nota 8,17. Mas, Wiggolly fechou sua participação com nota 6,67 que garantiu a pequena vantagem por 13,84 a 13,17 sobre Jay Davies, com Josh Kerr ficando em último com apenas 5,07 pontos.

Potiguares fechando o dia - Depois das duas vitórias brasileiras, vieram duas derrotas com Adriano de Souza e Filipe Toledo antes de Gabriel Medina fazer os recordes da primeira fase na sétima bateria do dia. Na nona, o também paulista Miguel Pupo foi derrotado pelo vice-campeão do Fiji Pro no ano passado, Nat Young, mas os potiguares Jadson André e Italo Ferreira festejaram mais duas classificações diretas para a terceira fase nos últimos confrontos da sexta-feira, com o mar já bem maior do que no início do dia. Todos esperavam surfar os tubos cristalinos de Cloudbreak, mas foram as manobras nas paredes das ondas que garantiram vitórias no primeiro dia.

Jadson André escolheu bem as ondas.
O natalense Jadson André escolheu bem as ondas e variou as manobras executando-as com pressão e velocidade para tirar três notas na casa dos 7 pontos contra os dois australianos que enfrentou na décima bateria. Adam Melling ainda chegou a tirar uma nota 9,0 em sua última onda, mas só para terminar em segundo lugar com 14,60 pontos, contra 15,17 do brasileiro. O cabeça de chave Julian Wilson ficou em último com 11,34. Já o potiguar de Baía Formosa, Italo Ferreira, travou um duelo quase onda a onda com o campeão mundial Joel Parkinson e também usou a variedade de manobras para fazer o segundo maior placar do dia na pequena vantagem de 15,97 a 15,20 pontos sobre o australiano.

Rodada extra - Enquanto cinco brasileiros já garantiram passagem direta para a terceira fase, três terão que encarar uma rodada extra no Fiji Pro por terem estreado com derrotas na sexta-feira. Os líderes do ranking vão abrir esta segunda fase enfrentando os surfistas de Fiji que estão competindo como convidados. A primeira chamada para a bateria de Adriano de Souza com Iria Nakalevu, foi marcada para as 7h30 com previsão de início as 8h00 do sábado em Fiji, 17h00 da sexta-feira pelo fuso horário de Brasília. Filipe Toledo entra na seguinte com Aca Ravulo e o também paulista Miguel Pupo na décima com o havaiano Fredrick Patacchia.

O Fiji Pro está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e também pela Fox Sports para a Austrália, pela MCS Extreme para a França, EDGE Sports para a China, Coréia do Sul, Malásia e outros territórios e no Brasil terá cobertura especial da TV Globo e dos canais ESPN.


PRIMEIRA FASE DO FIJI PRO - Vitória=Terceira Fase / 2º e 3º=Segunda Fase:
1ª) 1-Alejo Muniz (BRA)=12.20, 2-Kolohe Andino (EUA)=11.54, 3-Kelly Slater (EUA)=11.37
2ª) 1-Taj Burrow (AUS)=12.33, 2-Matt Banting (AUS)=11.13, 3-Aritz Aranburu (ESP)=10.50
3ª) 1-Wiggolly Dantas (BRA)=13.84, 2-Jay Davies (AUS)=13.17, 3-Josh Kerr (AUS)=5.07
4ª) 1-Adrian Buchan (AUS)=15.16, 2-Dane Reynolds (EUA)=8.53, 3-Filipe Toledo (BRA)=8.50
5ª) 1-Mick Fanning (AUS)=13.77, 2-Ricardo Christie (NZL)=9.26, 3-Aca Ravulo (FJI)=5.40
6ª) 1-Kai Otton (AUS)=15.60, 2-Adriano de Souza (BRA)=8.86, 3-Inia Nakalevu (FJI)=5.30
7ª) 1-Gabriel Medina (BRA)=17.13, 2-Jeremy Flores (FRA)=13.93, 3-C. J. Hobgood (EUA)=10.67
8ª) 1-Sebastian Zietz (HAV)=14.00, 2-Owen Wright (AUS)=13.67, 3-Dusty Payne (HAV)=7.50
9ª) 1-Nat Young (EUA)=13.00, 2-Miguel Pupo (BRA)=11.57, 3-Glenn Hall (IRL)=10.77
10) 1-Jadson André (BRA)=15.17, 2-Adam Melling (AUS)=14.60, 3-Julian Wilson (AUS)=11.34
11) 1-Keanu Asing (HAV)=11.50, 2-Bede Durbidge (AUS)=10.93, 3-Matt Wilkinson (AUS)=6.33
12) 1-Italo Ferreira (BRA)=15.97, 2-Joel Parkinson (AUS)=15.20, 3-Fredrick Patacchia (HAV)=11.47

SEGUNDA FASE - Vitória=Terceira Fase / Derrota=25.o lugar com 500 pontos:
1ª) Adriano de Souza (BRA) x Iria Nakalevu (FJI)
2ª) Filipe Toledo (BRA) x Aca Ravulo (FJI)
3ª) Josh Kerr (AUS) x Dane Reynolds (EUA)
4ª) Kelly Slater (EUA) x Jay Davies (AUS)
5ª) Owen Wright (AUS) x Aritz Aranburu (ESP)
6ª) Julian Wilson (AUS) x C. J. Hobgood (EUA)
7ª) Bede Durbidge (AUS) x Dusty Payne (HAV)
8ª) Joel Parkinson (AUS) x Glenn Hall (IRL)
9ª) Matt Wilkinson (AUS) x Adam Melling (AUS)
10) Miguel Pupo (BRA) x Fredrick Patacchia (HAV)
11) Jeremy Flores (FRA) x Ricardo Christie (NZL)
12) Kolohe Andino (EUA) x Matt Banting (AUS)


Sobre os autores:

Gabriella Simões fez Fotografia Digital no Sesc e é associada a Arfoc/Brasil através da Arfoc/BA. Miguel Brusell é formado em Comunicação Social na UFBA, tem pós em Gestão de Informações para Multimeios na FTC e bloga desde 2003.
«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Comentar