Surf baiano pode servir de exemplo para esporte no Brasil - EsporteNaRede

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Surf baiano pode servir de exemplo para esporte no Brasil

Caminhando firme para o ano 2025, o Surf Baiano deu mais um importante passo, nos dias 16 e 17 de abril no Balneário de Itacaré, onde foi constituída a Liga Baiana De Surf.

Da redação com informações de Ronald Barbosa
Fotos: Guga Moreira/Jaguaribe Surf Club

Mais uma vez, o surf baiano faz história e puxa o nível da organização do esporte não só no Estado mas no País. Em meado dos anos 70, o Surf baiano fez história sendo um dos primeiros Estados da União a ter uma Federação funcionando de fato e de direito. No final dos anos 80, com a fundação da ABS, o surf baiano introduziu a produção de informação oficial nos seus eventos, numa época em que nem os times de futebol, Bahia e Vitória ainda tinham assessoria de imprensa.

Carlos Morais da ABS.
O resultado do ousada iniciativa do presidente fundador da ABS, Bernardo Mussi foi a classificação de dois baianos, Armando Daltro e Cristhiano Spirro, entre os 44 melhores surfista do mundo. Na segunda-feira pela manhã, após um evento da ABS, numa época ainda nem existia a internet, o resultado da competição, com fotos, estava nos principais veículos de comunicação da Bahia.

Desta vez, através da iniciativa de um ex-presidente da ABS, Fabiano Prado, o Surf seu mais um importante passo com a fundação da Liga Baiana de Surf. Depois de morar por alguns anos na Alemanha, Fabiano retornou a Bahia e foi o grande catalizador de uma nova união no surf baiano que estava disperso, com as entidades que organizam o esportes voltadas para seus próprios interesses.

O local da reunião que foi, até agora, o maior símbolo da nova união do surf baiano foi a Colônia de Pescadores de Itacaré, onde Fabiano Prado abriu os trabalhos fazendo uma breve explanação de como seria todo o processo para a fundação da nova entidade. Depois cada um dos representantes das entidades fundadoras da Liga falou da sua experiência do surf.

Em seguida, Fabiano Prado falou sobre o planejamento da Liga que tem como fator chave a regionalização das associações do estado da Bahia, bem como a disputa de dois circuitos: O circuito da Liga e o circuito da Federação que terá as etapas da Liga valendo pontos para o seu ranking final. “Passado é passado. Há muito tempo, o surf da Bahia teria que se unir pois, como todos sabemos, a união faz a força. Tínhamos e temos tudo para sermos forte. Sempre tívemos o queijo e a faca, só que pegávamos a faca e cortávamos a mão. Hoje, estamos nos unindo e nos fortalecendo. O surf é o segundo esporte mais importante, temos a mídia nacional e internacional, temos um grande apoio da Mahalo. Poucos ainda não se uniram a gente, mas cremos que paradigmas e rótulos devem que ser quebrados", alertou Fabiano.

Com um poder catalizador, Fabiano Prado conseguiu unir quase todas as associações do surf do Estado. "Vamos, todos juntos, promover o crescimento, principalmente, na área social". Outro ator da nova união dos Surf Baiano, foi o presidente da Associação de Surf de Itacaré (ASI), Hongos Araújo que deu um providencial apoio a realização da reunião, disponibilizando toda a estrutura para a reunião e um coquetel para festejar a nova União do Surf da Bahia.

No segundo dia da reunião, a consultora do terceiro setor, Regina do Couto apresentou, de forma clara e bastante precisa, a sua proposta de estatuto. Após ouvir atentamente, foram sugeridas inclusões e alterações de acordo com a opinião do que seria melhor para a Liga Baiana de Surf.

Com a regionalização, cada entidade filiada fará etapas dentro da sua área, nas quais só poderão participar os atletas que estiverem filiado a algumas das associações na região e em dia com sua anuidade ou mensalidade. Cada ssociação terá que estar devidamente regularizada, com CNPJ, além de ter seus atletas registrados e com as obrigações em dia com a Liga Baiana de Surf.


Nota do autor: Peço, humildemente, o apoio do Fabiano Prado, ou qualquer colaborador que se encontrava presente, para, se possível, chamar a atenção para algo que me pronunciei e não encontra-se de acordo com o que foi passado, ou não consegui transmitir, de forma clara, para os demais. Algumas associações não consegui gravar o nome, quem souber marca aí. Ou comenta. Vamos fortalecer.

Estavam representadas na fundação da LBS:
Associação Olivença de Surf (AOS)
Associação Baiana de Surf (ABS)
Associação de Surf Valença (ASV)
Associação de Surf da Costa do Dendê (ASCD)
Associação de Surf Sulbaiana (ASSB)
Associação de Surf de Salvador (ASS)
Associação de Surf de Itacaré (ASI)
Escola de Surf de Itapuã (ESI)
Associação de Surf do Subúrbio e Cidade Baixa (ASSCB)
Associação de Surf de Baixio-Esplanada (ASB)
Associação Camaçariense de Surf (ACS)
Associação de Surf de Subaúma (ASS)
Associação de Surf de Cairú (ASC)
Associação Baiana de Salvamento Aquático (ABASA)
Associação de Surf da Praia de Ipitanga (ASPI)
Jaguaribe Surf Club (JCS)
Associação de Surf de Entre Rios (ASER)

Entidades fundadoras da Liga Baiana de Surf:
1) Associação de Surf da Costa dos Coqueiros - Associações dos Municípios de Lauro de Freitas, Mata de São João, Entre Rios e Esplanada.
2) Associação de Surf Salvador - associações de Salvador e Baía de Todos os Santos.
3) Associação de Surf da Costa do Dendê - Associações de Valença e Cairu.
4) Associação de Surf da Costa do Cacau - Associações de Ilheus e Itacaré.
5) Associação de Surf da Costa do Descobrimento - até o momento sem associações ligadas a LBS.
6) Associação de Surf da Costa das Baleias - até o momento sem associações ligadas a LBS.



Um comentário:

Post Top Ad