Red Nose Pro começa com 144 surfistas - EsporteNaRede

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Red Nose Pro começa com 144 surfistas

A primeira chamada para o início da etapa do QS 6000 que abre a perna brasileira da WSL South America na Ilha de Santa Catarina está marcada para as 8h00 da terça-feira na Praia do Santinho.

Colaboração de texto: João Carvalho/WSL
Colaboração de foto: Masurel/Kelly Cestari/Sean Rowland/Poullenot/WSL

Depois de alguns dias de chuva e um sábado gelado, o Sol reapareceu na Ilha de Santa Catarina no domingo e o tempo bom deve permanecer para o início do Red Nose Pro Florianópolis SC, que começa às 8h00 da terça-feira na Praia do Santinho. Os 144 surfistas de 24 países que vão disputar o título da etapa do QS 6000 que abre a "perna brasileira" de fim de ano da WSL South America nesta semana, já estão escalados nas duas rodadas de 24 baterias com quatro competidores. Além dos 6.000 pontos para o ranking do World Surf League Qualifying Series, o campeão fatura 25 mil da premiação total de 150 mil dólares que começa a ser distribuído a partir da segunda fase, quando entram os 48 cabeças de chave da competição.

O argentino Santiago Muniz.
Entre os 144 candidatos ao título do QS 6000 Red Nose Pro Florianópolis SC, os estrangeiros são maioria com 100 concorrentes contra 44 brasileiros. Os Estados Unidos com vinte surfistas e a Austrália com dezenove, formam os maiores pelotões vindos de outros países. A lista das 24 nações que estarão representadas nas ondas da Praia do Santinho, prossegue com o Havaí e a França com nove competidores cada, Portugal e África do Sul com cinco, Espanha e Japão com quatro, Argentina, Chile, Costa Rica e Ilha Guadalupe com três cada, Peru e Ilha Reunião com dois e mais nove países comparecerão com um participante, a Itália, Nova Zelândia, Marrocos, Indonésia, Taiti, Uruguai, Venezuela, Porto Rico e São Bartolomeu.

Muitos surfistas chegaram antes na capital catarinense para já ir treinando nas ondas da Praia do Santinho. Alguns enfrentaram até o gelado vento sul do sábado para testar as pranchas em condições de mar mais difíceis. Um deles foi o carioca Pedro Henrique, primeiro brasileiro a conquistar o título mundial Pro Junior da World Surf League. Ele já mora em Portugal há alguns anos e passou a competir pelo país no Circuito Mundial. Pedrinho é um dos cinco portugueses inscritos no QS 6000 de Florianópolis e o mais bem colocado no WSL Qualifying Series, em 29.o lugar no ranking que está classificando até o 13º para o WCT 2016.

Pedro Henrique.
"Primeiro de tudo, estou muito contente por estar de volta ao Brasil, a Florianópolis e de novo aqui na Praia do Santinho, especialmente para correr um campeonato que é o que mais adoro fazer", disse Pedro Henrique, com muito frio após sair do mar no sábado na Praia do Santinho. "Estou tendo a oportunidade de estar com meu pai na casa da minha avó, então já estou feliz por isso também. Hoje (sábado) o vento está muito forte, o mar não está fácil, mas tem boas ondas pra surfar. A formação está boa, o banco (de areia) está bom e quando parar um pouco o vento deve melhorar, então acho que vai dar altas ondas essa semana".

Pedrinho é um dos 48 cabeças de chave que só estrearão na segunda rodada do QS 6000 Red Nose Pro Florianópolis SC. Ele está escalado na sexta bateria com Hiroto Ohhara, que surpreendeu o mundo ao ser o primeiro japonês a vencer um evento importante do Circuito Mundial, o QS 10000 US Open of Surfing em Huntington Beach, na Califórnia, Estados Unidos. Essa segunda fase será inaugurada pelo cabeça de chave número 1 da etapa catarinense, o paulista Alex Ribeiro, um dos cinco surfistas que já confirmaram suas vagas na elite do WCT 2016 entre os dez indicados pelo WSL Qualifying Series. Os outros são os também brasileiros Alejo Muniz e Caio Ibelli, o australiano Jack Freestone e o líder do ranking, o americano Kolohe Andino, que por motivos diversos não irão competir em Florianópolis

Maxime Huscenot.
Também fazem parte da lista dos cabeças de chave os quatro estrangeiros que vão defender posições no G-10 do QS durante essa semana na Praia do Santinho, o norte-americano Kanoa Igarashi estreando na terceira bateria junto com o paulista Deivid Silva, o australiano Ryan Callinan na oitava com Ian Gouveia e os franceses Maxime Huscenot com o também pernambucano Luel Felipe e Joan Duru na 24.a e última com o catarinense Luan Wood.


O cearense Michael Rodrigues.
Os finalistas da etapa catarinense do ano passado, disputada na Praia da Joaquina, também só entrarão na segunda fase do Red Nose Pro Florianópolis SC. O argentino Santiago Muniz está escalado na 11ª bateria com o americano Conner Coffin. Já o cearense Michael Rodrigues, que mora na Ilha da Magia, começa a defender o título na 16ª, com o baiano Marco Fernandez sendo um dos seus três adversários. Os outros dois componentes dos confrontos da segunda fase sairão da primeira rodada da competição.

Catarinenses - Depois de um sábado gelado, no domingo o Sol apareceu para esquentar um pouco o clima e o número de surfistas treinando na Praia do Santinho aumentou. Os catarinenses eram maioria dentro d´água, mas muitos competidores de outros estados e de vários países também dividiram o espaço reservado para o Red Nose Pro Florianópolis SC durante o longo primeiro dia do horário de verão em Santa Catarina. A arena da competição foi instalada próxima ao Costão do Santinho, considerado como o "Melhor Resort de Praia do Brasil", que é um dos apoiadores do evento que vai agitar o extremo norte da Ilha de Santa Catarina nessa semana.

Willian Cardoso.
"As expectativas são as melhores possíveis para um grande campeonato nessa semana aqui no Santinho", disse Willian Cardoso, que será o primeiro catarinense a estrear no Red Nose Pro Florianópolis SC, na quarta bateria da terça-feira com o havaiano Seth Moniz, o francês Tristan Guilbaud e o norte-americano Colt Ward. "As previsões estão ótimas e tudo indica que vai dar altas ondas durante a semana inteira. Eu venho treinando bastante e espero poder representar bem meu estado no evento. A gente sabe o quanto a Federação (Catarinense de Surf) trabalhou forte para fazer este campeonato acontecer e é superimportante para a gente que corre o Circuito Mundial ter um evento desse nível na nossa casa. Então, só temos que agradecer a todos que estão envolvidos na realização do evento e agora é torcer para que dê Sol e altas ondas para todos poderem mostrar o seu melhor dentro d´água".

Assim como Willian Cardoso, outro catarinense que também já chegou perto de entrar na divisão de elite da World Surf League em algumas temporadas foi o campeão brasileiro de 2010, Jean da Silva. Ele também é um dos 96 surfistas escalados na primeira fase do Red Nose Pro Florianópolis SC e vai estrear na 22.a das 24 baterias, contra o venezuelano Francisco Bellorin, o norte-americano Ian Crane e o português Eduardo Fernandes. Jean também treinou nas ondas da Praia do Santinho no domingo ensolarado na Ilha de Santa Catarina.

O catarinense Jean da Silva.
"Eu cheguei aqui ontem (sábado) e o vento sul estava mais forte, achatando um pouco as ondas. Agora (domingo) o vento diminuiu, mas as ondas ainda não têm um tamanho legal para o Santinho mostrar o seu potencial", analisou o catarinense Jean da Silva, que ocupa uma modesta 101ª posição no ranking do WSL Qualifying Series esse ano. "Pelo menos, deu pra ver que a bancada (de areia) está boa e assim que chegar o swell (ondulação) vai dar boas ondas. Estou com uma boa expectativa, com boas pranchas e treinando bastante para conseguir um bom resultado nesse evento para poder melhorar minha posição no ranking".

O QS 6000 Red Nose Pro 15 Florianópolis SC tem o patrocínio master da Red Nose, com apresentação do Costão do Santinho Resort Golf & Spa, patrocínio do Governo do Estado de Santa Catarina, através da Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte, copatrocínio da Prefeitura de Florianópolis e Fundação Municipal de Esportes e apoio de Mini Kalzone. O evento é homologado pela WSL South America e organizado pela Federação Catarinense de Surf (FECASURF) com apoio da Associação de Surf Ingleses e Santinho (ASIS), divulgação oficial do site Waves e Revista Fluir, com transmissão ao vivo pelo www.worldsurfleague.com

Sobre a Red Nose - A Red Nose foi criada em 1996, quando o idealizador da marca conheceu o Pitbull Red Nose, o "puro pitbull", uma raça até então pouco conhecida. Foi inspirada na agilidade, força, atitude e coragem deste animal que nasceu a Red Nose, uma das marcas mais Xtremes do mundo, dos esportes de ação mais intensos e radicais. Começou apoiando as lutas de Jiu Jitsu e MMA, depois outras modalidades como o Big Surf, Skate, Caiaque, Paraquedismo, Motocross e Motorsports, se incorporaram ao team Red Nose Xtreme. Em 2014 promoveu o seu primeiro evento internacional de surf, o Red Nose Pro Junior em Baía Formosa (RN), agora estreia no calendário mundial do World Surf League Qualifying Series com a etapa do QS 6000 em Florianópolis (SC).

Perna brasileira - O Red Nose Pro Florianópolis SC vai abrir a "perna brasileira" de fim de ano da WSL South America nesta semana na Praia do Santinho, extremo norte da Ilha de Santa Catarina. Na próxima, acontece outra etapa do QS 6000 na Bahia, o já tradicional Mahalo Surf Eco Festival do dia 27 a 1º de novembro na Praia da Tiririca, em Itacaré. Já a última parada antes do encerramento da temporada na Tríplice Coroa Havaiana, será novamente na etapa do QS 10000 de São Sebastião, marcada para os dias 2 a 9 de novembro na Praia de Maresias, no litoral norte de São Paulo.

PRIMEIRA FASE - 3º=97º lugar com 120 pontos / 4º=121º lugar com 90 pontos:
1ª) Nomme Mignot (FRA), Ian Gentil (HAV), Caetano Vargas (BRA), Marlon Klein (BRA)
2ª) Vicente Romero (ESP), Robson Santos (BRA), Diego Mignot (FRA), Lucas Chianca (BRA)
3ª) Michael February (AFR), Noah Schweizer (EUA), Lucca Novaro (PER), Franklin Serpa (BRA)
4ª) Willian Cardoso (BRA), Seth Moniz (HAV), Tristan Guilbaud (FRA), Colt Ward (EUA)
5ª) Hizunomê Bettero (BRA), Halley Batista (BRA), Thiago Guimarães (BRA), Facundo Arreyes (ARG)
6ª) Marco Giorgi (URU), Oney Anwar (IDN), Gatien Delahaye (GLP), Raphael Seixas (BRA)
7ª) Kiron Jabour (HAV), Dylan Lightfoot (AFR), Jorgann Couzinet (REU), Cainã Barletta (BRA)
8ª) Krystian Kymerson (BRA), Andy Criere (FRA), Nelson Cloarec (FRA), Jeronimo Vargas (BRA)
9ª) Miguel Tudela (PER), Paul Cesar Distinguin (FRA), Guillermo Satt (CHL), Yuri Gonçalves (BRA)
10) Hiroto Arai (JPN), Dimitri Ouvre (BLM), Paulo Moura (BRA), Gabriel André (BRA)
11) Dale Staples (AFR), Tomas Fernandes (PRT), Cody Robinson (AUS), Jatyr Berasaluce (ESP)
12) Bino Lopes (BRA), Reo Inaba (JPN), Teale Vanner (AUS), Wesley Leite (BRA)
13) Garret Parkes (AUS), Mihimana Braye (TAH), Yago Dora (BRA), Phillippe Chagas (BRA)
14) Brian Toth (PRI), Flavio Nakagima (BRA), Balaram Stack (EUA), Renato Galvão (BRA)
15) Timothee Bisso (GLP), Matheus Navarro (BRA), Ethan Egiguren (ESP), Cam Richards (EUA)
16) José Ferreira (PRT), Shun Murakami (JPN), Taylor Clark (EUA), Alcides Lopes (BRA)
17) Perth Standlick (AUS), Alan Donato (BRA), Slade Prestwich (AFR), Anthony Fillingim (CRI)
18) Michael Wright (AUS), Victor Bernardo (BRA), Matt Passaquindici (EUA), Kekoa Cazimero (HAV)
19) Cahill Bell-Warren (AUS), Parker Coffin (EUA), Jake Davis (EUA), Nicolas Vargas (CHL)
20) Nic Von Rupp (PRT), Messias Felix (BRA), Johnny Noris (EUA), Weslley Dantas (BRA)
21) Joshua Moniz (HAV), Leandro Usuna (ARG), Manuel Selman (CHL), Harrison Mann (AUS)
22) Jean da Silva (BRA), Francisco Bellorin (VEN), Ian Crane (EUA), Eduardo Fernandes (PRT)
23) Cory Arrambide (EUA), Rafael Teixeira (BRA), Nic Hdez (EUA), Tomas King (CRI)
24) Ramzi Boukhiam (MAR), Keoni Yan (HAV), Derek Peters (EUA), Tales Araujo (BRA)

SEGUNDA FASE - entrada dos 48 cabeças de chave do Red Nose Pro Florianópolis SC)
---------3º=49º lugar (US$ 550 e 400 pontos) / 4º=73º lugar (US$ 450 e 370 pontos)
1.a bateria) Alex Ribeiro (BRA) e Beto Mariano (BRA)
2ª) Nathan Hedge (AUS) e Beyrick De Vries (AFR)
3ª) Connor O´Leary (AUS) e Granger Larsen (HAV)
4ª) Kanoa Igarashi (EUA) e Deivid Silva (BRA)
5ª) Davey Cathels (AUS) e Thomas Woods (AUS)
6ª) Hiroto Ohhara (JPN) e Pedro Henrique (PRT)
7ª) Nathan Yeomans (EUA) e Soli Bailey (AUS)
8ª) Ryan Callinan (AUS) e Ian Gouveia (BRA)
9ª) Charles Martin (GLP) e Leonardo Fioravanti (ITA)
10) Tanner Hendrickson (HAV) e Cooper Chapman (AUS)
11) Conner Coffin (EUA) e Santiago Muniz (ARG)
12) Jessé Mendes (BRA) e Thiago Camarão (BRA)
13) Maxime Huscenot (FRA) e Luel Felipe (BRA)
14) Tanner Gudauskas (EUA) e Wade Carmichael (AUS)
15) Billy Stairmand (NZL) e David do Carmo (BRA)
16) Michael Rodrigues (BRA) e Marco Fernandez (BRA)
17) Stu Kennedy (AUS) e Lucas Silveira (BRA)
18) Evan Geiselman (EUA) e Ezekiel Lau (HAV)
19) Brent Dorrington (AUS) e Heitor Alves (BRA)
20) Dion Atkinson (AUS) e Medi Veminardi (REU)
21) Patrick Gudauskas (EUA) e Gony Zubizarreta (ESP)
22) Michael Dunphy (EUA) e Marc Lacomare (FRA)
23) Noe Mar McGonagle (CRI) e Yadin Nicol (AUS)
24) Joan Duru (FRA) e Luan Wood (BRA)

CAMPEÕES DAS 25 ETAPAS DO MUNDIAL WQS MASCULINO EM FLORIANÓPOLIS:
--------- 12 na Praia da Joaquina + 10 na Praia Mole + 3 na Praia do Santinho
2014: Michael Rodrigues (BRA-CE) no 6-Star Oceano Santa Catarina Pro na Praia da Joaquina
2010: Bernardo Pigmeu (BRA-PE) no 4-Star SuperSurf Internacional na Praia do Santinho
2010: Aritz Aranburu (ESP) no 6-Star Maresia Surf Internacional na Praia Mole
2009: Gabriel Medina (BRA-SP) no 6-Star Maresia Surf Internacional na Praia Mole
2007: Simão Romão (BRA-RJ) no 6-Star Mormaii Costão Pro na Praia do Santinho
2006: Patrick Beven (FRA) no 6-Star Costão Pro Floripa na Praia do Santinho
2005: Heitor Alves (BRA-CE) no 6-Star Onbongo Pro Surfing na Praia Mole
2004: Richard Lovett (AUS) no 6-Star Onbongo Pro Surfing na Praia Mole
2003: Patrick Beven (FRA) no 6-Star Onbongo Pro Surfing na Praia Mole
2002: Chris Davidson (AUS) no 6-Star Onbongo Pro Surfing na Praia Mole
2002: Travis Logie (AFR) no 4-Star Petrobras Open Surf na Praia da Joaquina
2002: Anselmo Correia (BRA-RJ) no 4-Star Reef Classic na Praia Mole
2001: Mikael Picon (FRA) no 4-Star Reef Classic na Praia da Joaquina
2000: Trent Munro (AUS) no 4-Star Maresia Surf Floripa na Praia Mole
2000: Armando Daltro (BRA-BA) no 4-Star Reef Classic na Praia da Joaquina
1999: Neco Padaratz (BRA-SC) no 6-Star Maresia Surf Floripa na Praia Mole
1999: Fábio Gouveia (BRA-PB) no 4-Star Reef Brazil Classic na Praia da Joaquina
1998: Jake Paterson (AUS) no 6-Star Maresia Surf Floripa na Praia Mole
1998: Neco Padaratz (BRA-SC) no 4-Star Reef Brazil Classic na Praia da Joaquina
1995: Neco Padaratz (BRA-SC) no 2-Star Nescau Surf Energy na Praia da Joaquina
1994: Shane Dorian (HAV) no 2-Star Nescau Surf Energy na Praia da Joaquina
1993: Pedro Muller (BRA-RJ) no 2-Star Nescau Surf Energy na Praia da Joaquina
1993: Tinguinha Lima (BRA-SP) no 1-Star Op Pro Floripa na Praia da Joaquina
1992: Michael Barry (AUS) no 3-Star Sea Club Final Heat na Praia da Joaquina
1992: Jojó de Olivença (BRA-BA) no 2-Star Florianópolis Pro na Praia da Joaquina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad