Vivo Rio Pro apresentado por Corona começa nesta quarta-feira em Saquarema - EsporteNaRede

Últimas

terça-feira, 25 de junho de 2024

Vivo Rio Pro apresentado por Corona começa nesta quarta-feira em Saquarema

A previsão é iniciar a oitava etapa do CT 2024 às 7h00, a terça-feira foi outro dia de ondas baixas em Itaúna, na Vila dos Patrocinadores tem ativações todos dias, prazo da etapa brasileira vai até o próximo domingo.
 
Vivo-Rio-Pro-apresentado-Corona-começa-quarta-feira-Saquarema-foto-Daniel-Smorigo-WSL
Praia de Itaúna cheia para assistir os melhores do mundo.
Colaboração de texto: João Carvalho/Gabriel Gontijo/©WSL
Colaboração de foto: Daniel Smorigo/©WSL
 
O show dos melhores surfistas do mundo deve começar nesta quarta-feira no Maracanã do surfe brasileiro. A primeira previsão é iniciar o Vivo Rio Pro apresentado por Corona às 7h00 em Saquarema. A etapa brasileira do World Surf League (WSL) Championship Tour (CT), é a penúltima para definir quem vai disputar os títulos mundiais da temporada 2024 no Lexus WSL Finals em Trestles, na Califórnia. Portanto, é uma competição decisiva e a prioridade é que seja disputada nas melhores ondas possíveis na Praia de Itaúna. O evento vem sendo adiado desde o sábado, mas o público aproveitou para se divertir e curtir as várias atrações da Vila dos Patrocinadores, que abre todos os dias com ou sem competição na Capital Nacional do Surf.

A previsão das ondas está muito boa para os próximos três dias, então o show de surfe está garantido. A expectativa agora é se o Vivo Rio Pro apresentado por Corona em Saquarema, será inaugurado pela categoria feminina ou pela masculina. Isso só será decidido nas primeiras horas da manhã da quarta-feira. Se a direção técnica do evento, escolher começar pelas mulheres, a estreia do Brasil será em dose dupla na segunda das quatro baterias. Nesta primeira fase, as vencedoras avançam direto para as quartas de final e as perdedoras têm outra chance de classificação nos duelos eliminatórios da repescagem.
Tatiana Weston-Webb é a única brasileira buscando vaga no Lexus WSL Finals (Crédito da Foto: @WSL / Daniel Smorigo)
A única brasileira que está na briga por vaga no top-5, é Tatiana Weston-Webb. Ela e uma das três convidadas para o Vivo Rio Pro esse ano, Tainá Hinckel, vão enfrentar a líder do ranking e campeã da etapa brasileira do CT no ano passado, Caitlin Simmers. Na terceira bateria, tem a Sophia Medina com a campeã mundial Caroline Marks e a havaiana Bettylou Sakura Johnson. E na quarta e última, está Luana Silva com a costa-ricense Brisa Hennessy e a havaiana Gabriela Bryan

Se o Vivo Rio Pro apresentado por Corona for iniciado pelos homens, os dois convidados serão os primeiros brasileiros a tentar passar direto para as oitavas de final. Mas quem não vencer, terá uma segunda chance na repescagem, quando as baterias passam para o formato homem a homem. Vice-campeão da etapa brasileira em 2022, Samuel Pupo está na terceira bateria com os australianos Jack Robinson e Ryan Callinan. E o local de Saquarema, João Chianca, entra na quarta com o atual líder do ranking e bicampeão mundial John John Florence e o marroquino Ramzi Boukhiam.
João Chianca compete em casa na Praia de Itaúan em Saquarema (Crédito da Foto: @WSL / Daniel Smorigo)
Os três brasileiros que estão batendo na porta de entrada dos top-5, foram escalados nas baterias que vão fechar a primeira fase. O número 6 do ranking, Gabriel Medina, estreia na sexta com o indonésio Rio Waida e o italiano Leonardo Fioravanti. O sétimo, Italo Ferreira, entra na sétima bateria com o americano Crosby Colapinto e o australiano Liam O´Brien. Na última, o oitavo colocado, Yago Dora, faz a sua primeira defesa do título do Vivo Rio Pro, contra o californiano Jake Marshall e Matthew McGillivray da África do Sul.

VAGAS NO TOP-5 - Os três brasileiros estão numa briga direta, fase a fase, com outro sul-africano, Jordy Smith. No momento, ele está fechando o grupo dos top-5, que se classifica para decidir o título mundial no Lexus WSL Finals. Entre os quatro, quem conseguir o melhor resultado no Vivo Rio Pro apresentado por Corona, ficará na frente. Jordy Smith tem 24.970 pontos, contra 24.235 do Medina, 24.045 do Italo e 23.835 do Yago. O trio titular da seleção brasileira da WSL, se destacou nas duas últimas etapas.
Gabriel Medina bateu recorde de pontos pós pandemia com nota 10 no Taiti (Crédito da Foto: @WSL / Matt Dunbar)
O tricampeão mundial Gabriel Medina fez o maior somatório em etapas do CT depois da pandemia, com o tubaço nota 10 em Teahupo´o e os 19,83 pontos que atingiu nas oitavas de final do SHISEIDO Tahiti Pro. O recorde era 19,33 do John John Florence, também em um tubo na etapa do Havaí em Pipeline em 2023. Italo Ferreira foi o campeão em Teahupo´o esse ano, na final com o havaiano que depois venceu a etapa de El Salvador, derrotando Yago DoraJohn John não perde a liderança do ranking no Vivo Rio Pro apresentado por Corona e foi o primeiro a garantir seu nome no Lexus WSL Finals.

DÉCADA DE OURO - O havaiano é o único surfista que conseguiu impedir a hegemonia de títulos mundiais nessa década de ouro do Brasil. O fenômeno Gabriel Medina foi o primeiro brasileiro a ser campeão do mundo em 2014, Adriano de Souza foi o segundo em 2015 e John John Florence foi bicampeão em 2016 e 2017. Medina igualou o bi em 2018, o campeão olímpico Italo Ferreira conquistou o título de 2019 e em 2020 o circuito foi cancelado por causa da pandemia. Depois só deu Brasil no novo formato para decidir o título em um único dia, entre os 5 melhores da temporada. Gabriel Medina entrou no seleto grupo de tricampeões mundiais no WSL Finals de 2021 e Filipe Toledo foi bicampeão nas ondas de Trestles em 2022 e 2023.
Italo Ferreira foi campeão mundial e campeão olímpico na década de ouro do Brasil (Crédito da Foto: @WSL / Daniel Smorigo)
Na categoria feminina, Tatiana Weston-Webb foi vice-campeã mundial do primeiro WSL Finals em 2021, perdendo para Carissa Moore a melhor de três baterias que decidiu o título. Em 2022, a brasileira ficou em quarto lugar e no ano passado não se classificou. Neste ano, a situação está difícil para ela, que chegou no Brasil em oitavo no ranking. A única chance para Tatiana entrar no grupo das top-5 no Brasil, é a vitória no Vivo Rio Pro em Saquarema. Só assim consegue ultrapassar a pontuação atual da australiana Molly Picklum e da francesa Johanne Defay, que dividem a quarta posição no ranking.

WSL FINALS 2024 - No momento, as top-5 que estão se classificando para o Lexus WSL Finals 2024 em Trestles, na Califórnia, EUA, são Caitlin Simmers em primeiro lugar, com a campeã mundial Caroline Marks em segundo, Brisa Hennessy em terceiro e Molly Johanne empatadas em quarto lugar. Entre os homens, John John Florence já está garantido nos top-5 e Jack Robinson ocupa a segunda posição, com Griffin Colapinto em terceiro lugar, Ethan Ewing em quarto e o mais ameaçado, Jordy Smith, fecha os top-5.
Yago Dora treinando na Praia de Itaúna para buscar o bi no Vivo Rio Pro (Crédito da Foto: @WSL / Daniel Smorigo)
Vivo Rio Pro apresentado por Corona em Saquarema promove a oitava etapa do World Surf League Championship Tour 2024 com patrocínios  da Vivo, Corona, Red Bull, Banco do Brasil, Secretaria de Esporte e Lazer do Governo do Estado do Rio de Janeiro, Prefeitura Municipal de Saquarema, Natura Kaiak, Bamba, Mãe Terra, Florence, EY, SHISEIDO, YETI, Bonsoy, Eventbrite, Surfline, True Surf e será transmitido ao vivo pelo SportvGloboplayWorldSurfleague.com e Aplicativo da WSL.

PRIMEIRA FASE DO VIVO RIO PRO EM SAQUAREMA:

CATEGORIA FEMININA - 1.a=Quartas de Final /  2.a e 3.a=Repescagem:
1.a: Molly Picklum (AUS), Johanne Defay (FRA), Sawyer Lindblad (EUA)
2.a: Caitlin Simmers (EUA), Tatiana Weston-Webb (BRA), Tainá Hinckel (BRA)
3.a: Caroline Marks (EUA), Bettylou Sakura Johnson (HAV), Sophia Medina (BRA)
4.a: Brisa Hennessy (CRC), Gabriela Bryan (HAV), Luana Silva (BRA)

CATEGORIA MASCULINA – 1.o=Oitavas de Final /  2.o e 3.o=Repescagem:
1.a: Ethan Ewing (AUS), Cole Houshmand (EUA), Connor O´Leary (JPN)
2.a: Griffin Colapinto (EUA), Kanoa Igarashi (JPN), Seth Moniz (HAV)
3.a: Jack Robinson (AUS), Ryan Callinan (AUS), Samuel Pupo (BRA)
4.a: John John Florence (HAV), Ramzi Boukhiam (MAR), João Chianca (BRA)
5.a: Jordy Smith (AFR), Barron Mamiya (HAV), Imaikalani deVault (HAV)
6.a: Gabriel Medina (BRA), Rio Waida (IDN), Leonardo Fioravanti (ITA)
7.a: Italo Ferreira (BRA), Crosby Colapinto (EUA), Liam O´Brien (AUS)
8.a: Yago Dora (BRA), Jake Marshall (EUA), Matthew McGillivray (AFR)

RANKING DA WORLD SURF LEAGUE - 7 etapas:

TOP-20 DA CATEGORIA MASCULINA:
1.o- John John Florence (HAV) - 41.465 pontos
2.o- Jack Robinson (AUS) - 30.725
3.o- Griffin Colapinto (EUA) - 30.515
4.o- Ethan Ewing (AUS) - 27.250
5.o- Jordy Smith (AFR) - 24.790
6.o- Gabriel Medina (BRA) - 24.235
7.o- Italo Ferreira (BRA) - 24.045
8.o- Yago Dora (BRA) - 23.835
9.o- Jake Marshall (EUA) - 22.770
10.o- Crosby Colapinto (EUA) - 22.120
11.o- Rio Waida (IDN) - 21.055
12.o- Barron Mamiya (HAV) - 20.630
13.o- Cole Houshmand (EUA) - 20.630
14.o- Kanoa Igarashi (JPN) - 20.420
15.o- Ryan Callinan (AUS) - 20.130
16.o- Ramzi Boukhiam (MAR) - 20.130
17.o- Matthew McGillivray (AFR) - 19.480
18.o- Liam O´Brien (AUS) - 17.365
19.o- Leonardo Fioravanti (ITA) - 16.800
20.o- Imaikalani deVault (HAV) - 16.800

TOP-10 DA CATEGORIA FEMININA:
1.a- Caitlin Simmers (EUA) - 38.185 pontos
2.a- Caroline Marks (EUA) - 37.745
3.a- Brisa Hennessy (CRC) - 36.885
4.a- Molly Picklum (AUS) - 34.645
5.a- Johanne Defay (FRA) - 34.645
6.a- Gabriela Bryan (HAV) - 32.510
7.a- Bettylou Sakura Johnson (HAV) - 29.935
8.a- Tatiana Weston-Webb (BRA) - 29.015
9.a- Tyler Wright (AUS) - 26.460
10.a- Sawyer Lindblad (EUA) - 25.120
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

-->