Brasil vive sexta-feira mágica na Copa Tango, conquista duas medalhas no dia e assegura outras 17 - EsporteNaRede

Últimas

sábado, 9 de julho de 2022

Brasil vive sexta-feira mágica na Copa Tango, conquista duas medalhas no dia e assegura outras 17

No individual feminino, Bruna Alexandre ficou com a medalha de ouro da classe 9-10, enquanto Danielle Rauen foi a vice-campeã.

Bruna Alexandre terminou com medalha de ouro na Copa Tango.
Bruna Alexandre terminou com medalha de ouro na Copa Tango.
Colaboração de texto: Nelson Ayres/Fato&Ação
Colaboração de foto: Alê Cabral/CPB
 
O Brasil viveu uma sexta-feira (8) bastante especial na Argentina. O país viu os seus atletas brilharem na Copa Tango, que está sendo realizada em Buenos Aires, e garantirem um caminhão de medalhas. Duas delas já foram conquistadas logo no dia inaugural por Bruna Alexandre e Danielle Rauen na disputa individual da classe 9-10 feminina. Além delas, outros brasileiros já asseguraram mais 17 medalhas para a delegação.
 
O primeiro pódio brasileiro na Copa Tango saiu na classe 9-10 feminina. Representado por Bruna Alexandre e Danielle Rauen, o Brasil viu ambas terem grande performance e conquistarem um ouro e uma prata respectivamente. Em grupo único, Bruna venceu todas as três partidas que fez e perdeu somente um set, o que rendeu a ela a liderança do quadrangular e o título. Por sua vez, Danielle também venceu as adversárias estrangeiras (Ailyn Perez e Joselina Yevenes, ambas do Chile), mas acabou batida pela sua compatriota, ficando na vice-liderança do pleito.
 
Ainda no individual feminino, Thais Severo fez excelente fase de grupos – terminando na liderança do grupo 1 – da classe 2-5, o que rendeu a ela uma vaga na semifinal diante da argentina Nayla Kuell e, no mínimo, a medalha de bronze na competição. Sophia Kelmer e Elem Silva podem repetir o feito de Bruna Alexandre e Danielle Rauen. Na classe 7-8 feminina, Sophia terminou na liderança do grupo 1, enquanto Elem ficou na segunda posição. Classificadas, a primeira irá à mesa diante da representante da casa, Giselle Muñoz, e a segunda pegará a chilena Florencia Perez, ambos os jogos pelas semifinais.
 
Na classe 3 masculina, Jean Carlo Padilha e Fabio Silva estão nas semifinais. O primeiro encara o francês Yorick Adjal, enquanto o segundo joga contra o argentino Maximiliano Medina. Já a classe 4 tem duelo brasileiro na luta pela final. Alexandre Ank e Eziquiel Babes definirão quem seguirá no páreo pelo campeonato e quem ficará com o bronze.
 
Por outro lado, Lucas Arabian teve de passar por uma quarta de final antes de assegurar, no mínimo, a terceira posição. Após terminar na liderança do grupo 3, ele avançou e derrotou o compatriota Gerson Hintz por 3 a 0 para chegar à semi. Na fase, ele encara o britânico Simon Heaps.
 
O mesmo aconteceu com Felipe Oliveira. Na classe 6, ele teve de passar por um duelo brazuka para assegurar uma vaga na semifinal. Na ocasião, Oliveira bateu Goutier Rodrigues por 3 a 0 e, agora, encara o britânico Paul Karabardak.
Na classe 7 masculina, o Brasil pode ter uma final brasileira. De um lado, Paulo Salmim, que esteve de bye nas quartas de final, confronta o chileno Claudio Vega em uma das semis, de outro, Paulo Henrique Fonseca – que superou o chileno José Yanez por 3 a 0 nas quartas – luta pela final contra o argentino Aleksy Kaniuka.
 
O cenário se repetiu na classe 8 masculina.  A decisão verde e amarela pode ser protagonizada por Luiz Filipe Manara e João Nascimento Junior. Para isso acontecer, o primeiro tem de derrotar o argentino Pablo Krotsch e o segundo passar por Alejandro Perez, também da Argentina.
 
A classe 9 também pode ter final brasileira. Os protagonistas, porém, são outros: Lucas Carvalho precisa derrotar o chileno David Poblete, enquanto Flavio Seixas tem de bater Lucas Pavez, do Chile. Similarmente, na 10, caso Claudio Massad supere o argentino Dario Neira e Carlos Carbinatti passe por Manuel Felipe Farias, do Chile, a classe terá uma dobradinha verde e amarela.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

-->