Miguel Pupo salva a pátria nas ondas desafiadoras de M-River - EsporteNaRede

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Miguel Pupo salva a pátria nas ondas desafiadoras de M-River

Única vitória brasileira foi conquistada nas morras de 10-12 pés de Main Break depois de sete baterias disputadas no lendário pico The Box em Margaret River.

Colaboração de texto: João Carvalho/ASP South America
Colaboração de foto: Kelly Cestari/Kirstin Scholtz/ASP

O Drug Aware Margaret River Pro abriu a terceira etapa do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour em uma das ondas mais desafiadoras e infames do mundo, The Box. Depois de sete baterias nas direitas tubulares de 6-8 pés, a competição foi paralisada por 2 horas e recomeçou nas esquerdas gigantes de 10-12 pés no pico Main Break de Margaret River. Foi botando pra baixo nas morras com coragem e segurança, que o paulista Miguel Pupo conquistou a única vitória brasileira na quarta-feira, sobre o número 1 do ranking, Filipe Toledo, e o irlandês Glenn Hall. Filipinho e mais seis brasileiros terão que encarar uma rodada extra para tentar passar para a terceira fase do evento que vai continuar sendo disputado em grandes ondas nesta semana.

Melhores momentos do dia:

"O mar está bem difícil, mas eu tentei começar bem a bateria, escolher uma onda boa e foi isso que aconteceu. Mas, foi bem difícil de controlar a prancha porque está bem grande o mar", disse Miguel Pupo, que falou sobre a paralisação e a mudança de The Box para Main Break. "Para mim foi boa a mudança, porque em The Box o Filipe (Toledo) teria vantagem porque surfa de frente para as direitas e eu sou goofy (surfa com o pé direito na frente da prancha). Já aqui em Main Break, as ondas estão grandes, não tem tubos, então é tudo diferente, mais para manobras mesmo e estou feliz por ter vencido a bateria, assim ganho uma folga a mais por passar direto para a terceira fase".

Esta foi a segunda bateria com participação dupla do Brasil e a primeira a ser disputada em Main Break. Miguel Pupo escolheu bem as ondas e não desperdiçou nenhuma chance de pontuar nas difíceis condições do mar gigante em Margaret River. Ele surfou quatro ondas e nelas recebeu as maiores notas da bateria - 6,00/5,33/6,43/5,90 - para vencer por 12,43 pontos nas duas computadas. O líder do ranking, Filipe Toledo, também pegou quatro ondas, mas o máximo que conseguiu foi nota 4,43 e acabou em último com 8,36 pontos, contra 10,50 do irlandês Glenn Hall.


Já o outro confronto com dois brasileiros estreando juntos aconteceu na pior hora do mar em The Box, com o campeão mundial Gabriel Medina e o reforço da "seleção brasileira" nesta etapa, Alejo Muniz, sendo superados por Fredrick Patacchia na onda que o havaiano surfou no minuto final da bateria e valeu nota 2,5. Ele venceu somando apenas 4,30 pontos nas duas ondas, contra 3,96 de Medina e 3,27 do catarinense. Nas direitas de The Box, o que valia eram os tubos, mas todos fecharam rápido e Patacchia acabou levando a melhor porque sua onda abriu para ele fazer três manobras que lhe garantiram a vitória.

Entre os brasileiros que competiram nos tubos de The Box, o melhor foi Adriano deSouza, que defende a terceira posição no ranking em Margaret River. Ele começou bem a quarta bateria do dia com nota 6,67, que depois somou com 6,83 para totalizar 13,50 pontos, marca que daria para vencer os três primeiros confrontos da quarta-feira. No entanto, o havaiano Sebastian Zietz achou o melhor tubo da manhã em The Box para receber nota 9,23 e registrar imbatíveis 15,23 pontos. Já o norte-americano C. J. Hobgood sofreu uma queda terrível e terminou em último com 4,40 pontos.

Com um placar parecido de 4,46 pontos, o paulista Wiggolly Dantas ficou em segundo lugar na bateria vencida pelo havaiano John John Florence que abriu o Drug Aware Margaret River Pro. Na segunda bateria, uma nota 5,00 garantiu a vitória do sul-africano Jordy Smith por 7,73 pontos, contra apenas 3,40 do potiguar Jadson André e meio pontinho do norte-americano Brett Simpson, o pior do dia. Outro potiguar, Italo Ferreira, fechou a participação brasileira no penúltimo confronto da quarta-feira em Main Break, vencido pelo defensor do título desta etapa, o taitiano Michel Bourez.

Duelos brasileiros - Com isso, o único que passou direto para a terceira fase foi Miguel Pupo. Enquanto ele ganha uma folga, os outros sete representantes do Brasil terão que encarar as ondas gigantes na primeira rodada eliminatória do campeonato, que prossegue até o dia 26 de abril em Margaret River. Duas classificações estão garantidas, pois dois duelos serão verde-amarelos, o segundo entre o paulista Adriano de Souza e o catarinense Alejo Muniz e o décimo com os dois estreantes do Brasil na elite mundial do WCT este ano, o paulista Wiggolly Dantas e o potiguar Italo Ferreira.

O campeão mundial Gabriel Medina está escalado na primeira bateria com o vencedor das triagens em Margaret River, Jay Davies, da Austrália. O também paulista Filipe Toledo, que divide a liderança do ranking com o australiano Mick Fanning, entra na quarta com o neozelandês Ricardo Christie, que ainda não venceu nenhuma bateria este ano no WCT. E o potiguar Jadson André enfrenta outro novato na elite dos top-34 na disputa pela penúltima vaga para a terceira fase, o australiano Matt Banting.

A primeira chamada da quinta-feira está marcada para as 7h00 na Austrália, 20h00 da quarta-feira pelo fuso horário de Brasília, O Drug Aware Margaret River Pro está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pela Fox Sports para a Austrália, com coberturas especiais também pelo MCS Extreme na França, EDGE Sports na China, Coréia do Sul, Malásia e outros territórios, com a TV Globo sendo a nova parceira da World Surf League no Brasil.


PRIMEIRA FASE DO DRUG AWARE PRO MARGARET RIVER:
1ª) 1-John John Florence (HAV)=13.00, 2-Wiggolly Dantas (BRA)=4.46, 3-Dusty Payne (HAV)=2.60
2ª) 1-Jordy Smith (AFR)=7.73, 2-Jadson André (BRA)=3.40, 3-Brett Simpson (EUA)=0.50
3ª) 1-Kelly Slater (EUA)=8.20, 2-Kai Otton (AUS)=3.33, 3-Ricardo Christie (NZL)=3.27
4ª) 1-Sebastian Zietz (HAV)=15.23, 2-Adriano de Souza (BRA)=13.50, 3-C. J. Hobgood (EUA)=4.40
5ª) 1-Fredrick Patacchia (HAV)=4.30, 2-Gabriel Medina (BRA)=3.96, 3-Alejo Muniz (BRA)=3.27
6ª) 1-Mick Fanning (AUS)=14.00, 2-Jay Davies (AUS)=10.27, 3-Matt Wilkinson (AUS)=3.34
7ª) 1-Adrian Buchan (AUS)=13.74, 2-Josh Kerr (AUS), 3-Keanu Asing (HAV)=3.33
8ª) 1-Miguel Pupo (BRA)=12.43, 2-Glenn Hall (IRL)=10.50, 3-Filipe Toledo (BRA)=8.36
9ª) 1-Jeremy Flores (FRA)=15.00, 2-Taj Burrow (AUS)=11.53, 3-Bede Durbidge (AUS)=8.33
10ª) 1-Joel Parkinson (AUS)=15.73, 2-Adam Melling (AUS)=8.24, 3-Kolohe Andino (EUA)=5.00
11ª) 1-Michel Bourez (TAH)=14.76, 2-Nat Young (EUA)=14.70, 3-Italo Ferreira (BRA)=9.93
12ª) 1-Julian Wilson (AUS)=14.60, 2-Matt Banting (AUS)=8.30, 3-Owen Wright (AUS)=6.80

SEGUNDA FASE - Vitória=Terceira Fase / Derrota=25.o lugar com 500 pontos e US$ 9.000:
1ª) Gabriel Medina (BRA) x Jay Davies (AUS)
2ª) Adriano de Souza (BRA) x Alejo Muniz (BRA)
3ª) Josh Kerr (AUS) x C. J. Hobgood (EUA)
4ª) Filipe Toledo (BRA) x Ricardo Christie (NZL)
5ª) Taj Burrow (AUS) x Brett Simpson (EUA)
6ª) Owen Wright (AUS) x Dusty Payne (HAV)
7ª) Nat Young (EUA) x Keanu Asing (HAV)
8ª) Kolohe Andino (EUA) x Glenn Hall (IRL)
9ª) Bede Durbidge (AUS) x Adam Melling (AUS)
10ª) Wiggolly Dantas (BRA) x Italo Ferreira (BRA)
11ª) Jadson André (BRA) x Matt Banting (AUS)
12ª) Kai Otton (AUS) x Matt Wilkinson (AUS)

PRIMEIRA FASE DO DRUG AWARE MARGARET RIVER PRO WOMEN´S:
1ª) Lakey Peterson (EUA), Johanne Defay (FRA), Nikki Van Dijk (AUS)
2ª) Sally Fitzgibbons (AUS), Tatiana Weston-Webb (HAV), Alessa Quizon (HÁ)V
3ª) Carissa Moore (HAV), Coco Ho (HAV), vencedora da triagem
4ª) Stephanie Gilmore (AUS), Bianca Buitendag (AFR), Sage Erickson (EUA)
5ª) Tyler Wright (AUS), Silvana Lima (BRA), Laura Enever (AUS)
6ª) Courtney Conlogue (EUA), Malia Manuel (HAV), Dimity Stoyle (AUS)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad