Brasil conquista dois ouros contra os chilenos - EsporteNaRede

terça-feira, 5 de junho de 2018

Brasil conquista dois ouros contra os chilenos

Meninas tiveram confronto dramático na decisão, mas a Seleção masculina atropela na final que aconteceu nesta segunda (4), no Coliseo Evo Morales, em Cochabamba, na Bolívia.

Thiago Monteiro conquistou ouro com a Seleção masculina.
Colaboração de texto e foto: Cláudia Mendes/Márcio Menezes/CBMT
Colaboração de foto: Odesur

Nas duas decisões, o Brasil superou o Chile, sendo 3 a 0 no masculino e 3 a 2 no feminino. Para isso foi preciso superar os adversários, os efeitos da altitude de 2.570 metros acima do nível do mar e até uma contusão durante a disputa da final, mas as seleções masculina e feminina do Brasil conquistaram as medalhas de ouro por equipes no tênis de mesa dos Jogos Sul-Americanos.

Na semifinal, a equipe feminina passou pela Colômbia por 3 a 1, com boas vitórias individuais de Bruna Takahashi, Jéssica Yamada e Lin Gui, e uma derrota nas duplas (Jéssica e Lin). A dificuldade maior viria na decisão, contra a equipe chilena, tradicional rival do Brasil na América do Sul.

Bruna Takahashi ganhou de Daniela Ortega na primeira partida, por 3 a 2 (11/7, 6/11, 11/4, 8/11 e 11/2). Lin Gui enfrentou a forte Paulina Vega (75ª colocada no ranking mundial) e foi derrotada por 3 a 0 (8/11, 5/11 e 4/11). Nas duplas, Jéssica Yamada e Lin Gui foram superadas por Paulina Vega e Judith Morales, por 3 a 1 (7/11, 11/9, 5/11 e 6/11).

Perdendo por 2 a 1, Bruna Takahashi tinha a missão de vencer Judith Morales e manter o Brasil vivo no confronto. Ganhou os dois primeiros sets, perdeu o terceiro e, durante a disputa do quarto set, teve uma contratura na coxa esquerda. Mesmo contundida, após um rápido tratamento, venceu o set e a partida (11/8, 11/4, 10/12 e 11/8). A superação de Bruna parece ter contagiado Jéssica Yamada, que bateu Daniela Ortega por 3 a 0 (11/8, 13/11 e 11/6), garantindo a medalha de ouro.

“Foi uma vitória muito importante, do jeito que foi. Todas sentiram muitas dificuldades para encaixarem o melhor jogo aqui em Cochabamba, por causa da altitude, e tiveram que reverter muitas situações difíceis, com muita raça. Jogar em altitude como essa faz muita diferença no tênis de mesa. E foi muito bom vencer assim, pois dá muita moral para as próximas competições, não apenas aqui nos Jogos. Isso mostrou que elas podem reverter situações complicadas”, ressaltou o técnico Hugo Hoyama.

Os meninos tiveram vida bem mais difícil na semifinal, quando enfrentaram os argentinos. Vitor Ishiy e Thiago Monteiro venceram seus confrontos e equipe brasileira poderia fechar o confronto já na partida de duplas. Eric Jouti e Thiago Monteiro foram superados, Jouti perdeu o quarto jogo e coube a Ishiy garantir a vaga na decisão, ao derrotar Pablo Tabachnik por duríssimos 3 sets a 2 (6/11, 11/7, 5/11, 12/10 e 12/10).

Na decisão, vida mais tranquila para os brasileiros. Eric Jouti bateu Gustavo Gomez (9/11, 11/4, 11/6 e 11/8). Vitor Ishiy derrotou Felipe Olivares, por 3 a 2 (11/13, 11/9, 15/17, 11/6 e 12/10). Nas duplas, Eric Jouti e Thiago Monteiro não facilitaram e venceram Gustavo Gomez e Juan Lamadrid, por 3 a 1 (13/11, 11/8, 8/11 e 11/6), fechando o confronto e garantindo outro ouro.

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa conta com recursos da Lei Agnelo/Piva (Comitê Olímpico do Brasil e Comitê Paralímpico Brasileiro) - Lei de Incentivo Fiscal e Governo Federal - Ministério do Esporte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad