Amanda se torna a primeira brasileira campeã do UFC - EsporteNaRede

domingo, 10 de julho de 2016

Amanda se torna a primeira brasileira campeã do UFC

A Leoa Baiana, atleta revelada pela Federação Baiana de Jiu Jitsu, encaixa mata-leão na americana e vence no primeiro round, no UFC 200, disputado na madrugada deste domingo (10), na T-Mobile Arena, em Las Vegas (EUA).

Da redação com informações do SporTV
Fotos: Reprodução

Ela ganhou o apelido de Leoa no Tatame da Academia Edson Carvalho cuja o símbolo são dois Leões, quando era a única mulher que treinava na equipe do sensei Ricardo Cavalho, na sede da Federação Baiana de Jiu Jitsu, na Barra. Antes de se tornar uma das estrelas do UFC, ainda passou por um estágio com o sensei Edson Carvalho, no Estados Unidos.

Na madrugada deste sábado para o domingo, se tornou a primeira brasileira campeã do badalado UFC. "Basta acreditar que um novo dia vai raiar, sua hora vai chegar". A música escolhida por Amanda Nunes para entrar no octógono, "Tá Escrito", do Grupo Revelação", anunciou o que estava por vir. A hora da Leoa chegou e chegou em grande estilo.


A baiana finalizou Miesha Tate.
Uma atuação impecável, aliando potência e técnica nos golpes, fez ela se tornar a primeira mulher do país campeã do Ultimate. Aos 3m16s do primeiro assalto, a brasileira finalizou Miesha Tate com um mata-leão e se tornou a nova rainha do peso-galo feminino da organização, na luta principal do UFC 200, na madrugada deste sábado
.
Esta foi a 13ª vitória da carreira de Amanda Nunes em 17 lutas. A brasileira venceu o quarto confronto consecutivo e foi a terceira atleta tupiniquim a ter a chance de disputar o cinturão, após Bethe Correira, derrotada por Ronda Rousey, e Cláudia Gadelha, superada nesta sexta-feira por Joanna Jedrzejczyk, terem suas oportunidades. Do outro lado, Tate teve quebrada uma invencibilidade que durava cinco combates. Foi o sexto revés na carreira da Cupcake, que também tem 18 triunfos no cartel.

Miesha Tate.
"Acho que todo lutador tem a chance de mudar a sua maneira de lutar e sou esse tipo de lutadora. Sempre busco uma alternativa para fazer as coisas acontecerem na minha vida. A Miesha é uma oponente muito difícil, respeito a Miesha demais, mas sou a nova campeã. Há 10 anos venho trabalhando muito forte e agora me sinto muito bem para voltar para o Brasil. É para você, vó, estou voltando. Há um ano não vejo minha família, esperando melhor momento para voltar e vou levar isso (o cinturão) comigo. Logo no começo, quando ela começou a ficar muito machucada, controlei um pouco e bati mais forte para ela não voltar, porque sabia que ela voltaria mais forte no segundo round", afirmou Amanda, emocionada com a vitória.


A brasileira começou com um chute baixo, seguido de uma esquiva para evitar entrada em queda da campeã. A Leoa conectou um direto de encontro, e Miesha entrou com double leg para derrubar, mas Amanda se levantou rapidamente e deixou uma direita na saída. A americana buscava a luta agarrada e tomou uma invertida, mas a brasileira preferiu ficar de pé e voltou a golpear. As combinações de boxe passaram a entrar com precisão. A Cupcake caiu e sangrava no rosto. Uma entrada em queda fez a Leoa defender e transitar para as costas. Com a voracidade que o apelido explica, ela golpeou a cabeça da rival, colocou os ganchos, encaixou o mata-leão e entrou para a história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad