Brasil segue com seis no Hurley Pro Trestles - EsporteNaRede

Últimas

sábado, 12 de setembro de 2015

Brasil segue com seis no Hurley Pro Trestles

Filipe Toledo, Italo Ferreira e Miguel Pupo vão disputar a primeira vaga para as quartas de final, Adriano de Souza e Wiggolly Dantas brigarão pela segunda e Gabriel Medina pela última da quarta fase na Califórnia.

Colaboração de texto: João Carvalho/ WSL
Colaboração de foto: Sean Rowland/Kirstin Scholtz/WSL

Os brasileiros venceram todas as baterias na sexta-feira de direitas e esquerdas de 3-5 pés em Lowers Trestles e os seis agora têm duas chances de passar para as quartas de final do Hurley Pro Trestles em San Clemente, na Califórnia, Estados Unidos. Um deles já está garantido porque a disputa pela primeira vaga será 100% verde-amarela, entre Filipe Toledo, Italo Ferreira e Miguel Pupo. O líder, Adriano de Souza, entra na segunda com Wiggolly Dantas e Joel Parkinson. E Gabriel Medina fecha a quarta fase com Kelly Slater e Owen Wright. Nesta rodada, os vencedores avançam direto para as quartas de final, mas os perdedores têm uma segunda chance de classificação na quinta fase da etapa norte-americana do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour, que tem até o dia 20 para ser encerrada na Califórnia.


O vice-líder Mick Fanning.
Com os resultados da sexta-feira, dos seis surfistas que poderiam tirar a lycra amarela do Jeep Leaderboard de Adriano de Souza, restaram apenas três, o vice-líder Mick Fanning, o terceiro colocado, Owen Wright, e o quarto, Filipe Toledo. Miguel Pupo despachou Julian Wilson, Jeremy Flores perdeu para Adrian Buchan, mas Mineirinho já tinha acabado com suas chances e também de Kelly Slater quando derrotou o irlandês Glenn Hall na terceira fase.

A batalha pela ponta na corrida do título mundial ficou com dois brasileiros na chave de cima e dois australianos na de baixo que vai apontar o segundo finalista do Hurley Pro. A briga entre Mineirinho, Mick e Owen é fase a fase e o brasileiro compete antes deles na Califórnia. A disputa está tão acirrada que os quatro podem decidir a liderança numa final Brasil x Austrália em Lower Trestles. Este confronto direto com a maior potência do esporte aconteceu em quatro baterias na sexta-feira e o Brasil ganhou de quatro a zero.


O potiguar Italo Ferreira.
A goleada começou com Miguel Pupo despachando um dos concorrentes de Adriano de Souza na bateria que abriu a terceira fase, Julian Wilson. O australiano não conseguiu achar as ondas e Pupo não desperdiçou as oportunidades que teve no início para ganhar fácil por 12,84 a 4,80 pontos. Na disputa seguinte, o potiguar Italo Ferreira detonou uma série de batidas e rasgadas na primeira onda que pegou para largar com nota 8,67. Mas, Matt Wilkinson tomou a frente com a nota 8 da sua terceira onda. Italo correu atrás de uma que rendesse um mínimo de 6,60 pontos e só conseguiu isso na quinta tentativa, com o 6,63 recebido virando o placar para 15,30 a 15,27 pontos.


Filipe Toledo.
O ataque verde-amarelo continuou com Filipe Toledo garantindo uma bateria 100% brasileira para definir a primeira vaga para as quartas de final do Hurley Pro Trestles. Ele usou os aéreos contra o "power surf" do taitiano Michel Bourez e arrancou a maior nota do dia - 9,77 - na direita finalizada com sua arma mortal, o aéreo reverse de frontside. Filipinho tinha acabado de receber um 7,50 na onda anterior para totalizar 17,27 pontos, contra 14,83 do taitiano.



Depois recomeçou o massacre nos australianos com Wiggolly Dantas usando a potência das suas manobras de backside nas direitas de Lower Trestles e uma boa escolha de ondas para derrotar o experiente Taj Burrow com notas 7,00 e 8,27 em duas ondas seguidas. Ainda repetiu o 7,00 que o australiano não conseguiu em nenhuma das que surfou para evitar a terceira derrota australiana consecutiva para o Brasil na sexta-feira.

Wiggolly Dantas.
Na disputa seguinte, Adriano de Souza entrou com sua lycra amarela de número 1 do Jeep Leaderboard com uma responsabilidade a mais, defender a ponta do ranking e a invencibilidade do Brasil na terceira fase do Hurley Pro Trestles. Mineirinho acabou competindo numa hora ruim do mar, com poucas ondas boas entrando na bateria, fazendo com que a escolha das melhores ganhasse peso decisivo para a vitória. Ele aproveitou ao máximo cada chance que as ondas permitiam para encaixar manobras e a nota 7,5 da sua terceira apresentação foi suficiente para garantir a classificação por 12,83 a 11,97 pontos.


Gabriel Medina nas esquerdas.
Para fechar os 100% de vitórias brasileiras na quinta-feira, Gabriel Medina mudou o seu ataque nas ondas de Lower Trestles para fechar a goleada de 4 a 0 sobre a Austrália nas esquerdas. Primeiro apresentou o seu arsenal de manobras modernas para largar na frente com nota 7,67. O sempre perigoso Bede Durbidge escolheu as direitas e respondeu com 7,03. O campeão mundial pega outra esquerda e voa num aéreo reverse diferente, alongando a aterrisagem para receber nota 8,83 com esta única manobra na onda. O australiano ainda surfa outra direita no seu estilo, somando pontos a cada movimento e ganha 8,07, com o placar terminando em 16,50 a 15,10 pontos.

Kelly Slater.
Despedida nota 10 - A bateria de Medina com Durbidge acabou fechando a terceira fase, pois a última não foi realizada porque o havaiano Fredrick Patacchia anunciou sua aposentadoria depois da nota 10 que conseguiu para vencer o campeão mundial Gabriel Medina na bateria mais espetacular da primeira fase do Hurley Pro Trestles na quarta-feira. Então o caminho ficou livre para o australiano Owen Wright avançar para completar a bateria que vai definir a última vaga direta para as quartas de final, com Gabriel Medina e Kelly Slater.

O Hurley Pro Trestles e o Swatch Women´s Pro estão sendo transmitidos ao vivo pelo www.wordsurfleague.com e o link também pode ser acessado clicando-se no banner do evento na capa da nova página da WSL South America - www.wslsouthamerica.com - que destaca a participação dos brasileiros na disputa do título mundial no WCT, com notícias também dos surfistas dos outros países da América do Sul nos circuitos da World Surf League.


QUARTA FASE - Vitória=Quartas de Final / 2º e 3º=Quinta Fase:
1ª) Filipe Toledo (BRA), Italo Ferreira (BRA), Miguel Pupo (BRA)
2ª) Adriano de Souza (BRA), Joel Parkinson (AUS), Wiggolly Dantas (BRA)
3ª) Mick Fanning (AUS), Nat Young (EUA), Adrian Buchan (AUS)
4ª) Owen Wright (AUS), Kelly Slater (EUA), Gabriel Medina (BRA)

TERCEIRA FASE - Vitória=Quarta Fase / Derrota=13º lugar com 1.750 pontos e US$ 10.500 de prêmio:
1ª) Miguel Pupo (BRA) 12.84 x 4.80 Julian Wilson (AUS)
2ª) Italo Ferreira (BRA) 15.30 x 15.27 Matt Wilkinson (AUS)
3ª) Filipe Toledo (BRA) 17.27 x 14.83 Michel Bourez (TAH)
4ª) Joel Parkinson (AUS) 18.63 x 13.90 Josh Kerr (AUS)
5ª) Wiggolly Dantas (BRA) 15.27 x 12.53 Taj Burrow (AUS)
6ª) Adriano de Souza (BRA) 12.83 x 11.97 Glenn Hall (IRL)
7ª) Mick Fanning (AUS) 14.83 x 11.57 Kolohe Andino (EUA)
8ª) Nat Young (EUA) 18.10 x 12.26 Kai Otton (AUS)
9ª) Adrian Buchan (AUS) 15.77 x 15.26 Jeremy Flores (FRA)
10) Kelly Slater (EUA) 16.50 x 10.83 Adam Melling (AUS)
11) Gabriel Medina (BRA) 16.50 x 15.10 Bede Durbidge (AUS)
12) Owen Wright (AUS) por wº de Fredrick Patacchia (HAV)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad