Melhores surfistas do mundo escalados no Oi Rio Pro - EsporteNaRede

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Melhores surfistas do mundo escalados no Oi Rio Pro

A etapa brasileira da World Surf League tem novo patrocínio cota naming da Oi e será apresentada pela Corona no Postinho da Barra da Tijuca, com uma estrutura alternativa no Meio da Barra para usar onde estiverem as melhores ondas no período de 11 a 22 de maio.

Colaboração de texto: João Carvalho/Adriana Castelo Branco/Mariana Mello/ASP South America
Colaboração de foto: Daniel Smorigo/ASP

Os melhores surfistas do mundo já estão escalados para estrear no Oi Rio Pro, a nova etapa brasileira da World Surf League que começa em 11 de maio na capital do Rio de Janeiro, se o mar na Barra da Tijuca estiver com boas ondas no Postinho ou no Meio da Barra. O campeão Gabriel Medina faz sua primeira apresentação no Brasil depois do título mundial na quarta bateria, com o também paulista Wiggolly Dantas e o americano C. J. Hobgood. Já Adriano de Souza entra na sexta com a camisa amarela de número 1 do ranking 2015 numa bateria brasileira, com o potiguar Italo Ferreira e um dos dois convidados da etapa do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour no Rio de Janeiro, que ainda não foram anunciados.

O bom momento dos brasileiros no Circuito Mundial promete lotar a Barra da Tijuca mais uma vez. O número 3 do ranking, Filipe Toledo, que venceu a etapa de abertura da temporada na Gold Coast, está em outra bateria com participação dupla do Brasil na primeira fase do Oi Rio Pro, a décima com o também paulista Miguel Pupo e o australiano Matt Banting. Os dois seguiram as carreiras de pais famosos nos primeiros anos do Circuito Brasileiro na década de 90, o bicampeão Ricardo Toledo e Wagner Pupo. São grandes amigos, viajam juntos, mas só o primeiro colocado avança direto para a terceira fase, apesar de que os derrotados têm uma segunda chance de classificação. Eles também estrearam juntos na etapa passada, em Margaret River, com Miguel aumentando para 3 a 1 o número de vitórias sobre Filipe em baterias da divisão de elite do esporte.

Os únicos brasileiros que vão competir contra dois surfistas de outros países na rodada inicial do Oi Rio Pro, são o potiguar Jadson André e um dos convidados da histórica 25ª edição da capital carioca como sede de etapas válidas pelo título mundial, em plena comemoração dos 450 anos de fundação da cidade do Rio de Janeiro. Jadson foi escalado para abrir o campeonato, com o australiano Taj Burrow e o havaiano Dusty Payne no primeiro confronto do dia. E o convidado da organização do evento vai completar a quinta bateria, encabeçada pelo tricampeão mundial e vice-líder do ranking 2015, Mick Fanning, e do havaiano Fredrick Patacchia. O outro vai para a sexta, que já têm dois brasileiros, Adriano de Souza fazendo a sua primeira defesa da liderança do ranking e Italo Ferreira.

Camisa verde-amarela - Será a primeira vez que Mineirinho competirá com a lycra amarela de número 1 da corrida pelo título mundial, que ele tirou do australiano Mick Fanning quando derrotou Kelly Slater em seu caminho até a vitória no Drug Aware Margaret River Pro, que fechou a "perna australiana" do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour. Desde que ela foi implantada no ano passado para identificar o líder do ranking, justamente no Rio de Janeiro com Gabriel Medinasendo o primeiro a vesti-la, apenas em duas etapas ela não foi usada por brasileiros e já está quase ficando "verde-amarela".

O onze vezes campeão mundial Kelly Slater, saiu do Brasil com ela ao chegar as semifinais do ano passado no Postinho da Barra da Tijuca. Mas, só competiu de lycra amarela na etapa seguinte, pois Medina recuperou a primeira posição no ranking com o título nos tubos das Ilhas Fiji e não largou mais até confirmar o primeiro título do Brasil na história do Circuito Mundial em Banzai Pipeline, no Havaí.

Medina começou a temporada 2015 com ela e passou para Filipe Toledo, que venceu o primeiro desafio do ano na Gold Coast. Em Bells Beach, com a vitória sobre Adriano de Souza no desempate, o australiano Mick Fanning assumiu a ponta. Mas, Mineirinho fez outra final na Austrália e ganhou o Drug Aware Margaret River Pro para competir no Brasil com a lycra amarela de número 1 do mundo.

Duas brasileiras no Oi Rio Pro -Enquanto no masculino a "seleção brasileira" na elite dos top-34 tem sete surfistas, entre as meninas a única representante entre as top-17 que disputam o título mundial da World Surf League é a cearense Silvana Lima. Mas, outra brasileira também vai competir no Oi Rio Pro como convidada da organização da etapa brasileira no Rio de Janeiro. E já vai ter que encarar a melhor surfista do ano na terceira bateria, Carissa Moore, que fez três finais na Austrália e ganhou duas, além da australiana Dimity Stoyle. E Silvana Lima está na quinta com duas norte-americanas, Courtney Conlogue que acabou com a invencibilidade da havaiana em Margaret River e Sage Erickson.

Em todos os dias do prazo do Oi Rio Pro, de 11 a 22 de maio, a comissão técnica do evento se reúne nas primeiras horas da manhã para analisar as condições do mar e decidir se haverá competição, por qual categoria vai começar, ou se ela será adiada para aguardar por melhores ondas na Barra da Tijuca. Também será definido onde vai ser o show dos melhores surfistas do mundo, se no palco principal instalado nas ondas do Postinho, ou se na estrutura alternativa no Meio da Barra, próximo ao Posto 6.

Para assistir o espetáculo, ninguém paga nada, é só escolher o melhor lugar na areia para ver de perto as grandes estrelas do esporte na única passagem do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour pela América do Sul. Se o primeiro dia começar pela categoria masculina, Jadson André abre a quarta etapa da temporada com o australiano Taj Burrow e o havaiano Dusty Payne, com Kelly Slater já estreando na segunda bateria do dia, com o também norte-americano Brett Simpson e o francês Jeremy Flores. Se a comissão técnica decidir iniciar pelas meninas, a primeira bateria do Oi Rio Pro será entre a norte-americana Lakey Peterson, a sul-africana Bianca Buitendag e a havaiana Alessa Quizon.

Oi Rio Pro é apresentado pela Corona com patrocínio da Oi, Samsung, Riotur, Prefeitura do Rio de Janeiro, Governo do Estado do Rio de Janeiro, com a Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, Lei de Incentivo ao Esporte, além da Jeep, Go Pro, Coppertone e Guaraná Antarctica. A etapa brasileira do WCT será transmitida ao vivo pelo www.worldsurfleague.com

A OI e o esporte - A Oi tem longo histórico de apoio ao esporte, com patrocínios a grandes eventos, equipes e atletas. A Oi foi uma das patrocinadoras oficiais da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 e da Copa das Confederações da FIFA Brasil 2013, também apostou no basquete patrocinando o NBA Global Games Rio 2014 e o torneio NBA 3X com o Oi Galera, que tem como embaixador o campeão mundial Gabriel Medina. Neste ano, já patrocinou os Jogos Cariocas de Verão e o Oi Bowl Jam de skate e o incentivo da Oi a projetos esportivos, principalmente de esportes radicais e urbanos, é um dos pilares de investimento de marketing da Oi. A companhia tem grande expertise na participação, seja com patrocínio ou prestação de serviços de telecomunicações, em grandes competições realizadas no país e a etapa brasileira da World Surf League é mais uma delas.

Sobre a World Surf League - a World Surf League (WSL) organiza as competições anuais de surfe profissional e as transmissões ao vivo de cada etapa pelo worldsurfleague.com, com todo o drama e aventura do surfe competitivo em qualquer lugar e na hora que acontecer. As sanções da WSL são para os circuitos: World Surf League Championship Tour (CT), que define os campeões mundiais da temporada, Qualifying Series (QS), Big Wave Tour, Longboard e Pro Junior. A organização da WSL está sediada em Santa Monica, Califórnia, com escritório comercial em Nova York, além de sete escritórios regionais de apoio na organização dos eventos, na América do Norte, Havaí, América do Sul, Europa, Austrália, África e Ásia.

PRIMEIRA FASE DO OI RIO PRO - Vitória=Terceira Fase / 2.o e 3.o=Segunda Fase:
1ª) Taj Burrow (AUS), Jadson André (BRA), Dusty Payne (HAV)
2ª) Kelly Slater (EUA), Jeremy Flores (FRA), Brett Simpson (EUA)
3ª) John John Florence (HAV), Adrian Buchan (AUS), Ricardo Christie (NZL)
4ª) Gabriel Medina (BRA), Wiggolly Dantas (BRA), C. J. Hobgood (EUA)
5ª) Mick Fanning (AUS), Fredrick Patacchia (HAV), convidado do Oi Rio Pro
6ª) Adriano de Souza (BRA), Italo Ferreira (BRA), convidado do Oi Rio Pro
7ª) Josh Kerr (AUS), Sebastian Zietz (HAV), Keanu Asing (HAV)
8ª) Jordy Smith (AFR), Bede Durbidge (AUS), Glenn Hall (IRL)
9ª) Nat Young (EUA), Kolohe Andino (EUA), Adam Melling (AUS)
10ª) Filipe Toledo (BRA), Miguel Pupo (BRA), Matt Banting (AUS)
11ª) Julian Wilson (AUS), Michel Bourez (TAH), Matt Wilkinson (AUS)
12ª) Joel Parkinson (AUS), Owen Wright (AUS), Kai Otton (AUS)

PRIMEIRA FASE FEMININA OI RIO PRO - Vitória=Terceira Fase / 2.a e 3.a=Segunda Fase:
1ª) Lakey Peterson (EUA), Bianca Buitendag (AFR), Alessa Quizon (HAV)
2ª) Sally Fitzgibbons (AUS), Johanne Defay (FRA), Laura Enever (AUS)
3ª) Carissa Moore (HAV), Dimity Stoyle (AUS), convidada do Oi Rio Pro
4ª) Tyler Wright (AUS), Coco Ho (HAV), Keely Andrew (AUS)
5ª) Courtney Conlogue (EUA), Silvana Lima (BRA), Sage Erickson (EUA)
6ª) Malia Manuel (HAV), Tatiana Weston-Webb (HAV), Nikki Van Dijk (AUS)

TOP-22 NO RANKING DA WORLD SURF LEAGUE - após as 3 etapas na Austrália:
1º) Adriano de Souza (BRA) - 24.500 pontos
2º) Mick Fanning (AUS) - 16.950
3º) Filipe Toledo (BRA) - 15.700
4º) Julian Wilson (AUS) - 14.950
5º) Nat Young (EUA) - 14.750
6º) Taj Burrow (AUS) - 13.450
7º) Josh Kerr (AUS) - 12.250
8º) John John Florence (HAV) - 11.500
9º) Kelly Slater (EUA) - 10.950
9º) Jordy Smith (AFR) - 10.950
9º) Owen Wright (AUS) - 10.950
12º) Miguel Pupo (BRA) - 8.750
13º) Jeremy Flores (FRA) - 8.500
14º) Joel Parkinson (AUS) - 7.500
14º) Sebastian Zietz (HAV) - 7.500
16º) Gabriel Medina (BRA) - 7.450
17º) Jadson André (BRA) - 6.250
17º) Matt Wilkinson (AUS) - 6.250
17º) Glenn Hall (IRL) - 6.250
17º) Italo Ferreira (BRA) - 6.250
21º) Michel Bourez (TAH) - 6.200
21º) Bede Durbidge (AUS) - 6.200
21º) Wiggolly Dantas (BRA) - 6.200


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad