» » Medina fecha primeiro dia do O´Neill SP Prime

O potiguar Italo Ferreira roubou a cena no show de aéreos da segunda-feira ao tirar a maior nota do dia para bater o número 1 do mundo em sua estreia na etapa do ASP World Prime de São Sebastião apresentada pelo Guaraná Antarctica.

Colaboração de texto: João Carvalho/ASP SouthAmerica
Colaboração de foto: Daniel Smorigo/ASP

Segunda-feira de praia lotada para assistir a estreia de Gabriel Medina no O´Neill SP Prime, com a torcida esperando até o último confronto do dia, quando o número 1 do mundo entrou no mar por volta das 17h30 na Praia de Maresias, onde ele mora em São Sebastião, no litoral norte de São Paulo. Foi mais um show de aéreos que marcaram o primeiro dia e o potiguar Italo Ferreira acabou fazendo o melhor de todos para vencer a bateria com a nota 9,53 recebida pela manobra. Medina também agitou o público nas ondas de 3 pés com boa formação para as manobras aéreas e passou em segundo lugar para a próxima rodada. O outro recordista do primeiro dia foi o australiano Julian Wilson com imbatíveis 18,16 pontos somando notas 9,33 e 8,83 em voos igualmente sensacionais em Maresias.

"A bateria foi boa, o Italo (Ferreira) acertou bons aéreos, eu também, ele acabou vencendo a bateria, mas o importante era passar para a próxima fase e estou feliz por ter conseguido isso", disse Gabriel Medina, que foi bastante assediado pela torcida nas areias de Maresias e foi atendendo aos fãs no seu caminho até a arena do evento. Liderando o ranking mundial a maior parte do ano, ele é a grande esperança do Brasil conquistar o seu primeiro título na etapa final do WCT que vai acontecer nos dias 8 a 20 de dezembro em Banzai Pipeline, no Havaí. Os únicos que ainda podem impedir que Medina consiga este feito inédito na história do esporte são os experientes Kelly Slater e Mick Fanning, que juntos colecionam quatorze títulos mundiais, onze do norte-americano e três do australiano.

"Eu procuro não pensar nisso agora", disse Medina. "Meu foco no momento é este campeonato, pois faz muito tempo que não tem um evento do Circuito Mundial aqui em Maresias, o último foi em 2010, então quero aproveitar essa chance para conseguir um bom resultado. Só depois vou começar a trabalhar para o Havaí, fazer uma preparação especial antes de viajar para lá para tentar o título mundial. Eu estou ansioso pra que chegue logo o campeonato e confiante também para competir lá em Pipeline, mas agora meu foco é neste evento que está acontecendo aqui na minha casa".

Mesmo com Italo Ferreira roubando a cena neste último confronto da quinta-feira, Gabriel Medina foi o centro das atenções da torcida, que vibrou a sua classificação. O potiguar escolheu ficar sempre perto de Medina no mar, talvez por ele conhecer bem as ondas de Maresias. Os dois ficaram pegando as direitas que entravam mais a esquerda da arena do evento, enquanto o havaiano Kiron Jabour e o paulista Magno Pacheco se colocaram do outro lado. Italo já começou forte acertando um aéreo rodando de backside muito alto e aterrisando com perfeição para arrancar a maior nota do dia, 9,53. Ele repetiu a manobra em outra boa direita e praticamente garantiu a vitória com a nota 8,00 desta onda. Mas, Medina também completou seus aéreos de backside para avançar em segundo lugar.

"Estou muito feliz por ter passado em primeiro lugar, pois era uma bateria difícil com o (Gabriel) Medina, o Kiron (Jabour) e o Magno (Pacheco), que conhece bem essas ondas", destacou Italo Ferreira, que na semana passada se sagrou vice-campeão mundial Pro Junior da ASP em Portugal, perdendo a final para o português Vasco Ribeiro. "O mar melhorou agora à tarde, o vento parou e ficou bom para mandar os aéreos nas direitas, então optei em mandar as manobras aéreas porque tinha que arriscar mesmo para vencer a bateria contra o Gabriel. Mas, o evento está só começando e o caminho ainda é longo para eu conseguir o resultado que preciso pra tentar já garantir minha vaga no WCT aqui neste evento".

A dobradinha verde-amarela de Gabriel Medina e Italo Ferreira, um dos cinco brasileiros que estão se classificando para o WCT entre os dez indicados pelo ranking do ASP Qualification Series, foi a segunda do dia. A outra aconteceu no sexto confronto da segunda-feira, com o paulista Wiggolly Dantas e o pernambucano Ian Gouveia superando o australiano Stu Kennedy e o catarinense Jean da Silva. Esta foi a última bateria realizada pela manhã, com a competição sendo paralisada ao meio-dia por causa da maré cheia, quando as séries ficaram mais espaçadas com poucas ondas entrando em Maresias. As disputas só retornaram as 15h00 para realizar mais seis baterias para fechar a primeira metade da rodada inicial do O´Neill SP Prime em São Sebastião.

"Eu estou muito focado nesse campeonato. Acabou aquela pressão para entrar no WCT, já garanti a vaga por antecipação, então agora meu objetivo é ser campeão do ranking do ASP Qualification Series", disse Wiggolly Dantas. "O Jadson (André) que está na frente já perdeu na primeira bateria, mas o Matt Banting que é o segundo passou, só que independente dos resultados deles eu quero fazer o meu melhor para conseguir um bom resultado aqui para decidir este título lá nas duas etapas do Havaí. O mar estava um pouco difícil de achar boas ondas na minha bateria, mas consegui as notas suficientes para passar em primeiro lugar e vamos com tudo para o próximo rounde".

Líderes barrados - Os quatro que se classificaram nestas duas dobradinhas foram os únicos brasileiros que passaram para a segunda fase. Outros seis foram eliminados logo no primeiro dia, inclusive o potiguar Jadson André, que foi barrado pelo norte-americano Dillon Perillo e o português Frederico Morais na bateria que abriu o O´Neill SP Prime. Jadson é o líder do ranking do ASP Qualification Series (QS) e agora sua posição é ameaçada principalmente pelo australiano Matt Banting e o brasileiro Wiggolly Dantas, que já avançaram para a segunda fase e ocupam a segunda e terceira colocações no ranking, respectivamente.

Outra baixa importante foi a do paulista Alex Ribeiro, que venceu a etapa do ASP 4-Star da Bahia encerrada no sábado em Itacaré e lidera a corrida do título sul-americano da temporada. Ele terminou em último na bateria vencida pelo francês Joan Duru com o australiano Mitch Crews passando em segundo lugar. Alex liderou o ranking da ASP South America praticamente toda a temporada, mas agora tem o seu título ameaçado por dois brasileiros, o também paulista Jessé Mendes e o cearense Michael Rodrigues, que vão estrear no O´Neill SP Prime na segunda metade da primeira fase que ficou para abrir a terça-feira em São Sebastião.

Maioria australiana - Entre os 24 surfistas classificados nas doze baterias disputadas na segunda-feira, os australianos conquistaram a maioria das vagas para a segunda fase, onze no total, contra quatro brasileiros, três norte-americanos, três franceses, com um português, um espanhol e um neozelandês, completando a lista. E quem comandou o ataque australiano nas ondas de Maresias foi Julian Wilson, que acertou aéreos incríveis, muito altos, para fazer o maior placar do primeiro dia, 18,16 pontos de 20 possíveis. Sua melhor apresentação valeu nota 9,33, que só foi superada pela 9,53 do potiguar Italo Ferreira.

"As ondas estão boas, pequenas mas boas, com direitas e esquerdas bem divertidas para fazer os aéreos", disse Julian Wilson, um dos quinze tops do WCT que estão participando do O´Neill SP Prime. "Eu já estive aqui em Maresias alguns anos atrás e gostei desta praia, então vim para cá pegar umas ondas antes do Havaí. Foi bom eles (comissão técnica) terem parado o evento na maré cheia, porque as ondas ficaram bem melhores e estou feliz por ter conseguido pegar boas ondas para tirar notas altas para vencer a bateria".

Além de Julian Wilson, mais quatorze surfistas do atual grupo dos top-34 do WCT estão em São Sebastião para competir na última etapa importante do ASP Qualification Series antes do encerramento da temporada na Tríplice Coroa Havaiana, que começa semana que vem na ilha de Oahu. A maioria deles vem em busca dos decisivos 6.500 pontos da vitória no O´Neill SP Prime para o ranking que classifica dez surfistas para a elite que vai disputar o título mundial do ano que vem. É o caso do norte-americano Brett Simpson, que está fora dos 22 primeiros colocados no WCT que são mantidos na divisão principal e tenta garantir sua permanência pelo G-10 do QS, que é dominado pelos brasileiros, com cinco fazendo parte desta lista, os paulistas Wiggolly Dantas e Jessé Mendes, o potiguar Italo Ferreira e os catarinenses Tomas Hermes e Willian Cardoso.

"Eu infelizmente não tive um bom ano no WCT, mas estou até bem no QS, preciso de mais um bom resultado e nenhum lugar poderia ser melhor do que esse pra conseguir isso pra poder chegar com menos pressão no Havaí", disse Brett Simpson, que também comentou sobre a disputa do título mundial entre Gabriel Medina, Kelly Slater e Mick Fanning. "Ainda acho que o Gabriel (Medina) tem toda vantagem, pois ele tem que passar menos baterias do que os outros pra confirmar o título e já provou que é bom nas ondas de Pipeline também. Eu diria que o Medina tem 60% de chances de ser o campeão mundial e o Mick (Fanning) ficaria com os outros 40%, porque a situação do Kelly (Slater) é mais complicada, mas com ele (Slater) na briga nunca se sabe o que pode acontecer".

Chamada às 7h00 - Assim como no primeiro dia, a primeira chamada da terça-feira também foi marcada para as 7h00 na Praia de Maresias. A segunda metade da rodada inicial do O´Neill SP Prime vai abrir o dia com outro grande talento da nova geração brasileira que vem se destacando no WCT estreando em casa por também morar em Maresias como Gabriel Medina, Miguel Pupo, contra o marroquino Ramzi Boukhiam, o australiano Nathan Hedge e o também paulista Igor Moraes. Além das doze baterias restantes da primeira fase, a segunda rodada também poderá ser iniciada na terça-feira em São Sebastião.

Festas e Shows - Além das disputas por pontos decisivos na corrida pelas vagas no WCT de 2015, a etapa mais importante da "perna brasileira de fim de ano" da ASP South America também programou várias atrações para o público que deve lotar a Praia de Maresias para assistir os melhores surfistas do mundo. A Festa de Abertura já aconteceu no sábado, 1.o de novembro, no Morocco Bar e no próximo sábado o agito começa na praia mesmo, com um Festival de Música aberto ao público no final de tarde logo após o encerramento da competição, com a banda CPM 22 como principal atração. Depois, à noite, tem a Festa de Encerramento no Sirena Club.

Sobre a O´Neill - A marca O´Neill foi criada em 1952 na Califórnia, Estados Unidos, pelo jovem surfista na época, Jack O´Neill, no seu desejo de estender suas sessões de surfe nas águas geladas do norte da Califórnia. Pioneira na produção de roupas de neoprene (wetsuit) no mundo, a primeira loja O´Neill foi aberta na garagem da casa de Jack. Foi ele quem também inventou as cordinhas para amarrar as pranchas na perna e até a primeira bermuda sem costura especialmente para os surfistas. A marca hoje pode ser encontrada em 85 países e a O´Neill já chegou a promover uma série de etapas do Circuito Mundial WQS pelos mares mais gelados do mundo, como no Canadá, Nova Zelândia, Escócia, mas o O´Neill SP Prime na Praia de Maresias será o primeiro grande evento da marca no Brasil.

Apresentado pelo Guaraná Antarctica, o O´Neill SP Prime será realizado com patrocínio da Gillette Body, do Governo do Estado de São Paulo, através da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, e da SABESP, além do importante apoio da Prefeitura Municipal de São Sebastião, Federação Paulista de Surf, Associação de Surf da Grande São Paulo, Associação de Surf de São Sebastião e Associação de Surf de Maresias. A Revista Fluir, o site Waves, o canal ESPN Brasil e a Rádio 89 FM, são os parceiros de mídia do evento homologado pela ASP South America como a sexta das oito etapas com status Prime do ASP Qualification Series 2014.


PRIMEIRA FASE DO O´NEILL SP PRIME - 3.o=49.o lugar (US$ 1.000 e 400 pts) / 4.o=73.o lugar ($ 750 e 380 pts):
1.a: 1-Dillon Perillo (EUA), 2-Frederico Morais (PRT), 3-Jadson André (BRA), 4-Marco Giorgi (URU)
2.a: 1-Thomas Woods (AUS), 2-Mitch Coleborn (AUS), 3-Jonathan Gonzalez (CNY), 4-Gavin Gillette (HAV)
3.a: 1-Connor O´Leary (AUS), 2-Matt Banting (AUS), 3-Nic Von Rupp (PRT), 4-Beyrick De Vries (AFR)
4.a: 1-Dion Atkinson (AUS), 2-Garrett Parkes (AUS), 3-Conner Coffin (EUA), 4-David Van Zyl (AFR
5.a: 1-Cahill Bell-Warren (AUS), 2-Billy Stairmand (NZL), 4-Aritz Aranburu (ESP), 3-Torrey Meister (HAV),
6.a: 1-Wiggolly Dantas (BRA), 2-Ian Gouveia (BRA), 3-Stu Kennedy (AUS), 4-Jean da Silva (BRA)
7.a: 1-Patrick Gudauskas (EUA), 2-Marc Lacomare (FRA), 3-Vasco Ribeiro (PRT), 4-Cory Arrambide (EUA)
8.a: 1-Julian Wilson (AUS), 2-Davey Cathels (AUS), 3-Michael Dunphy (EUA), 4-Medi Veminardi (REU)
9.a: 1-Joan Duru (FRA), 2-Mitch Crews (AUS), 3-Deivid Silva (BRA), 4-Alex Ribeiro (BRA)
10: 1-Brett Simpson (EUA), 2-Gony Zubizarreta (ESP), 3-Peterson Crisanto (BRA), 4-Lincoln Taylor (AUS)
11: 1-Brent Dorrington (AUS), 2-Maxime Huscenot (FRA), 3-Leandro Usuna (ARG), 4-Yadin Nicol (AUS)
12: 1-Italo Ferreira (BRA), 2-Gabriel Medina (BRA), 3-Kiron Jabour (HAV), 4-Magno Pacheco (BRA)
----------------ficaram para abrir a terça-feira:
13: Miguel Pupo (BRA), Ramzi Boukhiam (MAR), Nathan Hedge (AUS), Igor Moraes (BRA)
14: Tim Reyes (EUA), Keanu Asing (HAV), Evan Geiselman (EUA), Michael Rodrigues (BRA)
15: Jeremy Flores (FRA), Ricardo Christie (NZL), Perth Standlick (AUS), Bino Lopes (BRA)
16: Alejo Muniz (BRA), Caio Ibelli (BRA), Marco Fernandez (BRA), Victor Bernardo (BRA)
17: Matt Wilkinson (AUS), Dusty Payne (HAV), Heitor Alves (BRA), Lucas Silveira (BRA)
18: Willian Cardoso (BRA), Carlos Munoz (CRI), Marlon Lipke (PRT), Luke Davis (EUA)
19: Tomas Hermes (BRA), Tanner Gudauskas (EUA), Hizunomê Bettero (BRA), Steven Pierson (TAH)
20: Sebastian Zietz (HAV), Krystian Kymerson (BRA), David do Carmo (BRA), Hiroto Arai (JPN)
21: Tiago Pires (PRT), Ezekiel Lau (HAV), Santiago Muniz (ARG), Noe Mar McGonagle (CRI)
22: Raoni Monteiro (BRA), Granger Larsen (HAV), Brian Toth (PRI), Leonardo Fioravanti (ITA)
23: Jessé Mendes (BRA), Charles Martin (GLP), Vicente Romero (ESP), Hiroto Ohhara (JPN)
24: Filipe Toledo (BRA), Jay Thompson (AUS), Jack Freestone (AUS), Kanoa Igarashi (EUA)

SEGUNDA FASE - Round of 48 - baterias formadas pelos resultados da segunda-feira:
------------3.o=25.o lugar (US$ 1.900 e 700 pontos) / 4.o=37.o lugar (US$ 1.600 e 650 pontos):
1.a: Matt Banting (AUS), Dillon Perillo (EUA), Thomas Woods (AUS), Garrett Parkes (AUS)
2.a: Dion Atkinson (AUS), Mitch Coleborn (AUS), Frederico Morais (PRT), Connor O´Leary (AUS)
3.a: Wiggolly Dantas (BRA), Davey Cathels (AUS), Marc Lacomare (FRA), Cahill Bell-Warren (AUS)
4.a: Julian Wilson (AUS), Patrick Gudauskas (EUA), Billy Stairmand (NZL), Ian Gouveia (BRA)
5.a: Gabriel Medina (BRA), Brett Simpson (EUA), Joan Duru (FRA), Maxime Huscenot (FRA)
6.a: Mitch Crews (AUS), Italo Ferreira (BRA), Brent Dorrington (AUS), Gony Zubizarreta (ESP)


Sobre os autores:

Gabriella Simões fez Fotografia Digital no Sesc e é associada a Arfoc/Brasil através da Arfoc/BA. Miguel Brusell é formado em Comunicação Social na UFBA, tem pós em Gestão de Informações para Multimeios na FTC e bloga desde 2003.
«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Comentar