» » Mick Fanning vence final contra Gabriel Medina no Quiksilver Pro France

O paulista Gabriel Medina, 19 anos, quase consegue repetir a sua primeira vitória no ASP World Tour conquistada no Quiksilver Pro France em 2011. Mas, o atual líder do ranking, Mick Fanning, 32, achou uma boa onda nos minutos finais para se tornar o recordista de títulos na etapa francesa do WCT com o quarto troféu de campeão em doze edições.
Colaboração de Fotos: Kelly Cestari/ASP
Podio do Quiksilver Pro France 2013 .
Podio do Quiksilver Pro France 2013 .
Gabriel Medina vice-campeão no WCT da França (Foto: Kelly Cestari / ASP)

Na sexta-feira, a competição retornou para a praia Le Penon em Seignosse, onde Medina tinha tirado a única nota 10 do campeonato esse ano. Filipe Toledo, 18 anos, também fez bonito no último dia ao despachar o defensor do título em Hossegor, Kelly Slater, 41. Depois, perdeu a semifinal brasileira para Medina e dividiu o terceiro lugar na França com o atual campeão mundial Joel Parkinson, 32.
“Estou muito feliz por ter feito a final com o Mick (Fanning), que é um ídolo para mim”, disse Gabriel Medina. “Foi uma boa semana para mim e o vice-campeonato na final também foi um grande resultado. Estou feliz por isso e agora vamos com tudo pra Portugal, espero que eu possa fazer um bom campeonato lá novamente como no ano passado”.

Medina referiu-se a próxima e penúltima etapa do ASP Tour 2013, o Rip Curl Pro que começa no dia 9 e vai até 20 de outubro em Supertubos, Peniche, Portugal. No ano passado, foi o também australiano Julian Wilson, 24 anos, que lhe tirou o título desta prova no último minuto da bateria final. Na França, Medina começou a sexta-feira vingando essa derrota nas quartas de final, quando confirmou a semifinal verde-amarela com Filipe Toledo, que tinha acabado de barrar Kelly Slater no resultado mais surpreendente do último dia em Hossegor.

SEMIFINAL BRASILEIRA – A bateria entre os dois surfistas mais jovens da divisão de elite do ASP World Tour foi dominada por Gabriel Medina, que ocupou o espaço aéreo de Seignosse com voos muito altos e grandes rotações. No melhor aéreo nas esquerdas de Le Penon, arrancou nota 9,10 dos juízes para sacramentar a vitória e a passagem para decidir o título contra Mick Fanning, que tinha vencido Joel Parkinson na primeira semifinal. Filipe também foi chamado para subir no seu primeiro pódio da carreira que está só iniciando no WCT.

Gabriel Medina vice-campeão no WCT da França.
Gabriel Medina vice-campeão no WCT da França.
“Mesmo não indo pra final, estou feliz porque o terceiro lugar foi meu melhor resultado neste meu primeiro ano no WCT”, disse Filipe Toledo. “Estou amarradão pelo Gabriel (Medina) também. Ele começou forte com um 9 e um 7 e essas esquerdas com vento à favor são tudo que ele gosta para fazer os aéreos. Saio daqui mais confiante ainda para Portugal e para conseguir meus objetivos, que é tentar terminar entre os top-10 do ranking e ser o Rookie of the Year (estreante do ano) da temporada”.

Se Filipe Toledo despachou o vice-líder Kelly Slater e o terceiro do ranking, Jordy Smith, da África do Sul, o campeão Mick Fanning barrou os números 4 e 5, Taj Burrow e Joel Parkinson, respectivamente, para se distanciar na corrida pelo seu terceiro título mundial no WCT. Ele agora pode até conseguir este feito em Portugal, antes mesmo da etapa final, o Billabong Pipe Masters que fecha a temporada 2013 nos dias 8 a 20 de dezembro no Havaí. Para isso, Fanning tem que vencer o Rip Curl Pro e Slater não ter sido um dos semifinalistas em Peniche.

“Isso prefiro deixar ver o que vai acontecer, não quero pensar nisso agora”, disse Mick Fanning, que destacou a participação dos brasileiros no Quiksilver Pro France. “Estou muito emocionado porque o Gabriel (Medina) é muito bom, é um garoto incrível e mesmo faltando só 20 segundos para terminar a final eu ainda me sentia pressionado por ele. O Filipe (Toledo) também surfou de forma incrível essa semana. Eu assisti as baterias deles e eles não têm medo de arriscar grandes aéreos. Eu sabia que ia ser difícil a final contra qualquer um deles e só queria poder começar de novo a carreira com novos tornozelos para tentar fazer alguns voos assim”.

GRANDE FINAL – Depois de passar pelo havaiano John John Florence nas quartas de final e por Joel Parkinson na semifinal, Mick Fanning começou bem a bateria decisiva com nota 7,83 na primeira onda, atacando forte de backside uma boa esquerda. Mas, na terceira onda de Gabriel Medina, ele manda o aéreo “full rotation” de frontside sem as mãos na prancha e tira 8,5 para assumir a ponta com a nota 6,5 da sua segunda apresentação. Na marca dos 10 primeiros minutos da bateria, o placar era de 15 a 14 pontos para Medina, com Fanning precisando de 7,18 pra virar o resultado.

O australiano fez várias tentativas para buscar a vitória e só na oitava delas, quando restavam 7 minutos para o término, ele chegou perto arriscando um aéreo de frontside que valeu nota 6,77. Na onda seguinte, Fanning pegou outra direita que abriu para ele aplicar uma série de três manobras fortes com velocidade. Na finalização, abriu os braços pedindo nota para os juízes e eles deram 8,83 para o bicampeão mundial abrir 8,17 pontos de vantagem sobre o brasileiro.

Só que o mar no auge da maré cheia já não apresentava boas condições, com poucas ondas boas entrando para os dois competidores. Medina ainda tentou duas vezes reverter o placar de 16,66 a 15,00 pontos, mas as ondas fecharam rapidamente. Ele só pegou uma boa depois do sinal de fim da bateria e acertou o aéreo rodando que poderia valer o título, mas era tarde e Mick Fanning comemorou sua primeira vitória no ano, a quarta no WCT da França.


FINAL DO QUIKSILVER PRO FRANCE:
Campeão: Mick Fanning (AUS) com 16,66 pontos (7,83+8,83) – US$ 75.000 e 10.000 pontos
Vice-campeão: Gabriel Medina (BRA) com 15,00 (6,50+8,50) – US$ 30.000 e 8.000 pontos
SEMIFINAIS – 3.o lugar – US$ 17.500 e 6.500 pontos:
1.a: Mick Fanning (AUS) 16.10 x 15.03 Joel Parkinson (AUS)
2.a: Gabriel Medina (BRA) 17.87 x 12.93 Filipe Toledo (BRA)
QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar – US$ 14.500 e 5.200 pontos:
1.a: Joel Parkinson (AUS) 15.77 x 13.60 Kai Otton (AUS)
2.a: Mick Fanning (AUS) 17.00 x 13.77 John John Florence (HAV)
3.a: Filipe Toledo (BRA) 16.37 x 11.40 Kelly Slater (EUA)
4.a: Gabriel Medina (BRA) 15.70 x 12.00 Julian Wilson (AUS)

TOP-22 DO ASP WORLD TOUR 2013 – após a 8.a das 10 etapas:
01: Mick Fanning (AUS) – 51.900 pontos
02: Kelly Slater (EUA) – 45.900
03: Jordy Smith (AFR) – 39.700
04: Taj Burrow (AUS) – 39.400
05: Joel Parkinson (AUS) – 38.950
06: Julian Wilson (AUS) – 34.050
07: Michel Bourez (TAH) – 30.500
08: Josh Kerr (AUS) – 30.100
09: Adriano de Souza (BRA) – 29.250
10: Kai Otton (AUS) – 29.100
11: C. J. Hobgood (EUA) – 27.700
12: Nat Young (EUA) – 27.000
13: Adrian Buchan (AUS) – 24.200
14: John John Florence (HAV) – 24.150
15: Gabriel Medina (BRA) – 23.750
16: Filipe Toledo (BRA) – 23.150
17: Jeremy Flores (FRA) – 20.750
18: Sebastian Zietz (HAV) – 19.650
19: Fredrick Patacchia (HAV) – 15.950
20: Brett Simpson (EUA) – 14.750
21: Travis Logie (AFR) – 14.700
22: Bede Durbidge (AUS) – 13.700
Outros brasileiros:
26: Miguel Pupo (BRA) – 10.250 pontos
28: Alejo Muniz (BRA) – 9.000
33: Raoni Monteiro (BRA) – 6.500
35: Willian Cardoso (BRA) – 6.200
38: Heitor Alves (BRA) – 1.750

Sobre os autores:

Gabriella Simões fez Fotografia Digital no Sesc e é associada a Arfoc/Brasil através da Arfoc/BA. Miguel Brusell é formado em Comunicação Social na UFBA, tem pós em Gestão de Informações para Multimeios na FTC e bloga desde 2003.
«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga