» » Confira a Exposição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Entre os dias 19 e 27 de outubro aconteceu, no estacionamento L1 do Salvador Shopping, a 10ª edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT). Lá, o público teve a oportunidade de ver de perto equipamentos científicos nas áreas de astronomia, eletromagnetismo, robótica, fluídos, óptica, matemática, mecânica, acústica e termologia e novidades na área de tecnologia.

.                                                                                                                                          Fotos: Gabriela Simões

Fonte: www.salvadorshopping.com.br

Evento promovido pela Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) foi montado em duas tendas climatizadas com 300m² cada, nas quais, os visitantes terão acesso a temática “Ciência, Saúde e Esporte” por meio de atividades lúdicas e de entretenimento que estimulam o interesse pela ciência e valorizam a criatividade e inovação.

A novidade da SNCT 2013 é a apresentação do robozinho NAO, humanóide, que utiliza sensores de movimento, fala e faz o reconhecimento facial, além de ser utilizado para fins de ensino, pesquisa e desenvolvimento; inclusive, ajuda no tratamento de idosos e crianças com autismo.

Os participantes da exposição curtiram uma viagem pelo espaço para conhecer o sistema solar através da utilização dos capacetes VR (realidade virtual) que transmitem imagens em 3D e vídeos de 360 graus. Além de visitar os projetos de robótica do Clube de Investigação Científica, produção de alunos baianos dos Colégios Portinari e Anchieta, como: Casa ecológica e autossustentável, medidor de poluição sonoro robótico, robô dançarino (Rei Julian) e partida de futebol disputada por robôs autônomos.

Além disto, o SNCT contou com a mostra de kits didáticos que abordam temas como energia eólica, solar e células de combustível e biocombustível. Estiveram expostos os Kits LeXsolar: Fotovoltaico Avançado, Energia Eólica Avançado e Células de Combustível H2 Médio H2 Avançado; Robô Moway;  Sistema de Treinamento em Princípios de fabricação, Física e Química; Laboratório de Matemática Básica e de Geometria LG e jogos de Kinect. Equipamentos que utilizam princípios de química e física. A Órbita com força central, Chispa, Van Der Graff, Princípio da Pilha, Sopro que aprisiona, Anamorfose Cilíndrica, Looping, Pêndulos e Cone com Bancada estarão disponíveis em um ambiente estruturado e com monitores capacitados a prestarem informações sobre os equipamentos.

Durante a Semana, o mascote do evento, Robozão da Bahia, um robô que possui 2,6 metros de altura, 1,6m de envergadura, dança, canta e interage com o público circulou pelo Salvador Shopping, convidando o público para conhecer a exposição, mostrando os experimentos e curiosidades da mostra. O Robozão ainda vai interagir na tenda brincando de chute a gol com os visitantes.

Um espaço foi preparado para o público realizar experimentos científicos, a exemplo da Mostra de Cheiros e Sabores. Com a ajuda de tablets dispostos em uma bancada com inaladores, os visitantes identificaram os aromas através de um aplicativo interativo. Além de participar de experiências que brincam com o paladar. Também foram disponibilizados vídeos educativos e jogos interativos que aumentam a compreensão dos visitantes sobre os elementos da tabela periódica. A ação foi realizada pela Braskem em parceria com o Museu de Ciência e Tecnologia UNICA – Universo da Criança e do Adolescente.

A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia foi instituída em 2004, por decreto presidencial, para mobilizar jovens e crianças em torno de temas e iniciativas de ciência e tecnologia. “Nossa intenção é despertar no público o interesse pela ciência, tão importante para promovermos a criatividade, a atitude científica e a inovação na Bahia. Por isso, trazemos equipamentos que despertam a curiosidade e apresentam temas importantes através de atividades lúdicas”, afirmou Paulo Câmera, secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação.


Equipamentos que participaram da mostra:
Gerador De Van Der Graff – Este aparelho gera um tensão eletrostática, e seus efeitos podem ser sentidos pelo visitante se aproximando do gerador.
Órbita com força central – Quando amarramos uma pedra em uma das extremidades de um barbante e a colocamos em movimento segurando na outra extremidade do mesmo, ela descreverá movimentos circulares porque uma força central (tração no barbante) não deixa ela escapar. Com a esfera de resina acontece a mesma coisa; só que a força central nesse caso é a gravidade.
Chispa – Você sabe o que acontece quando, em dias de tempestade, as nuvens ficam extremamente carregadas de eletricidade? Um belo relâmpago! O tamanho da faísca indica a voltagem nas nuvens que é de alguns milhões de volts! Nessa instalação, temos um transformador de néon que gera 15.000 Volts, por isso, a faísca é bem menor que um relâmpago. Por que ela sobe? Pois é; o ar percorrido pela descarga sofre duas alterações: aquece e fica ionizado. Como é mais fácil a faísca acontecer no ar ionizado, ela acompanha este que sobe por estar aquecido.
Princípio da Pilha – Alguns pares de metais se comportam assim: eles possuem afinidade elétrica, por isso, quando colocamos entre eles algum meio material que “estimula” essa afinidade, eles interagem gerando energia elétrica. Normalmente se usa ácidos ou sais. Como o nosso corpo parece uma salina, ao encostarmos as mãos nas placas de zinco e cobre uma voltagem é gerada.
Sopro que aprisiona – Se soprarmos entre duas folhas de papel, elas se aproximam em lugar de se afastarem. Isso acontece porque o ar em movimento faz menos pressão sobre a folha do que o ar parado que se encontra à volta das duas folhas. No caso dessa instalação, o jato de ar que sopra na bola, cria uma região de baixa pressão na vizinhança da mesma; com isso, a pressão atmosfera “aprisiona” a esfera no interior do jato de ar.
Anamorfose Cilíndrica – Você já reparou que quando você se olha na costa de uma colher a sua imagem sofre uma certa deformação? Pois é; se existir uma extraterrestre parecido com você, mas um pouco deformado, é possível que a imagem dele na colher fique “consertada”. Para não precisarmos de extraterrestres deformados, construímos uma imagem perfeitamente deformada, de forma que ela pareça direita ao ser refletida neste espelho cilíndrico. A deformação na imagem depende do raio do espelho.
Looping – Existem brinquedos de parques de diversões que funcionam assim: o carrinho é levado para o alto de uma rampa, de onde é abandonado e começa a descer guiado por trilhos. Como a energia potencial que ela tinha (altura) era suficiente, ele descerá e conseguirá dar uma volta de 360 graus sem descolar dos trilhos. O mesmo acontece com as esferas nessa instalação. Só que aqui você pode experimentar largar as esferas de posições mais baixas e observar elas despencarem do alto do trilho.
Pêndulos – Com a ajuda de pesos posicionados em hastes e barbantes, observe o fenômeno da ressonância ao tocar uma das peças e provocar a vibração de outra, descobrindo, por exemplo, porque as cordas do violão desafinam ou porque é possível quebrar taças de cristal com sons muito agudos.
Cone com Bancada – Um aparelho que demonstra o aparente paradoxo de fazer com que um objeto “caia para cima” ao ser largado na parte mais baixa de uma rampa.

Sobre os autores:

Gabriella Simões fez Fotografia Digital no Sesc e é associada a Arfoc/Brasil através da Arfoc/BA. Miguel Brusell é formado em Comunicação Social na UFBA, tem pós em Gestão de Informações para Multimeios na FTC e bloga desde 2003.
«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga