» » Chuva pode apimentar prova de Velocidade na Terra

A segunda etapa do Campeonato  está programada para o domingo (5), no Ferreirão, em Camaçari.
Colaboração de texto e fotos: FAB
A segunda etapa do Campeonato Baiano de Velocidade na Terra está programada para o domingo (5), no Circuito Ferreiro, em Camaçari e se a meteorologia ajudar, as disputas entre os pilotos vão ser ainda mais acirradas na pista de 1400 metros, na Região Metropolitana do Salvador.

A segunda etapa do Campeonato  está programada para o domingo (5), no Ferreirão, em Camaçari.
O que os pilotos das categorias Speed e Turismo querem é que chova no sábado e no domingo caia apenas uma garoa, para que a pista fique escorregadia o suficiente para mostrar quem é bom de braço. Esse ingrediente é tudo também o que o público quer, pois desta forma as ultrapassagens e as disputas ficam ainda mais emocionantes, aumentando a adrenalina dentro e fora da pista.

A segunda etapa da competição terá a disputa de duas baterias de cada categoria (Speed e Turismo) e os portões do Circuito Ferreirão abrem a partir das 8 horas, com o treino oficial acontecendo às 10 horas e a primeira bateria às 11h20 min. A previsão é que, no máximo, às 15 horas aconteça a premiação dos vencedores.

Uma das novidades dessa segunda etapa fica por conta da volta do bicampeão baiano de 2003 e 2004, Alessandro Tâmega, o Cabelinho, que depois de passar com sucesso pela categoria Super Speed, volta para experimentar as emoções de pilotar um carro com tração dianteira, na categoria Turismo.

Outro que retorna as pistas do barro é o piloto Manoel Perez que vai reforçar a categoria Speed, depois de dois anos afastados das competições de Velocidade na Terra. Tanto Alessandro Tâmega quanto Manoel Perez elogiaram a evolução da modalidade esportiva na Bahia e esperam apimentar ainda mais as disputas entre os pilotos.

Ao longo dessa semana a diretoria do Clube de Automobilismo da Bahia (CAB) percorreu diversas oficinas de Salvador e Camaçari, onde estão sendo preparados os carros da competição, para lacrar os motores que serão utilizados pelos pilotos. Nesse trabalho, Aureliano Campos, presidente do clube, percebeu que vários pilotos estarão retornando ao campeonato e que o grid no domingo será bem maior do que na primeira etapa.

“Já lacramos cerca de 14 motores e acho que a segunda etapa vai ferver de emoção”, disse Aureliano, que também é piloto da categoria Speed. O dublê de piloto e dirigente acredita que o retorno de alguns pilotos vai aumentar em emoção o campeonato e pode atrair novos competidores, pois, segundo ele, existem alguns carros prontos e nas garagens, esperando “donos” que queiram se aventurar no circuito de barro.

O Campeonato Baiano de Velocidade na Terra é realizado pelo Clube de Automobilismo da Bahia, com supervisão da Federação de Automobilismo da Bahia e patrocínio da Petrobahia, Governo do Estado da Bahia e FazAtleta.

As disputas entre os pilotos vão ser acirradas na pista de 1400 metros, na Região Metropolitana do Salvador

As disputas entre os pilotos vão ser acirradas na pista de 1400 metros, na Região Metropolitana do Salvador.

Sobre os autores:

Gabriella Simões fez Fotografia Digital no Sesc e é associada a Arfoc/Brasil através da Arfoc/BA. Miguel Brusell é formado em Comunicação Social na UFBA, tem pós em Gestão de Informações para Multimeios na FTC e bloga desde 2003.
«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga