» » Bahia terá primeiro campeonato de Karatê Kyokushin

Os baianos poderão assistir uma competição da Arte Marcial dos nocautes, com socos e ponta pés.

.                                                                     Fotos: Gabriela Simões

Por: Miguel Brusell

Pela primeira vez na Bahia será realizado, no dia 4 de agosto, no Ginásio de Esportes do Instituto Social, um campeonato de caratê do tradicional estilo Kyokushin. O Kyokushin ou Kyokushinkaikan é um dos mais novos estilos do caratê, desenvolvido pelo coreano Masutatsu Oyama e é praticado com ênfase no condicionamento físico/mental do praticante.

O significado do nome diz que o estilo pretende alcançar as verdadeiras raízes do caratê como arte marcial. Os treinos são duros e ostensivos e a prática de luta pretende ser fluida. Durante a competição, a Bahia também recebe um dos mais respeitados praticantes da modalidade, o Shihan baiano, Francisco Filho, ídolo das artes marciais no Japão, pelo sucesso no K1 e pela performance fora do comum no desafio das 100 lutas seguidas contra faixas preta.

As inscrições para o 1º Campeonato Baiano de Karatê Kyokunshin podem ser feitas até o dia 20 de julho, na Academia Edson Carvalho, na Avenida Oceânica, na Barra, ao custo de R$ 40,00. A competição será realizada pela Federação Baiana de Karatê Kyokunshi Oyama (FBKKO) em parceria com a Federação Baiana de Jiu Jitsu (FBJJ), Ichigeki Kickboxing e China, com apoio da Alabama.

Segundo o sensei Manoel Mascote, presidente da FBKKO será a oportunidade de presenciar uma competição com muita adrenalina. "O Karatê Kyokunshin é um caratê de contato. No campeonato a regra é de nocaute. Nos outros estilos, a regra é de marcação (de pontos). Então a luta pode ser decidida com nocaute ou por decisão dos juízes", revela o mestre.

Segundo o professor, nos campeonatos desta modalidade, os nocautes são muito frequentes no Campeonato de Karatê Kiokunshi. "Depende do estado de cada atleta. Se o atleta treinou firme para ser campeão, vai até o fim, mas, se der algum vacilo, pode tomar um nocaute e acabar a luta no mesmo momento", revela o sensei.

Sobre os autores:

Gabriella Simões fez Fotografia Digital no Sesc e é associada a Arfoc/Brasil através da Arfoc/BA. Miguel Brusell é formado em Comunicação Social na UFBA, tem pós em Gestão de Informações para Multimeios na FTC e bloga desde 2003.
«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga